Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo tentativas

MUDE !!!

Mude!!! Mas comece devagar,porque a direção é mais importante que a velocidade.Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.Mais tarde, mude de mesa.Quando sair procure andar pelo outro lado da rua.Depois, mude de caminho, ande por outras ruas,calmamente,observando com atenção os lugares por onde vocêpassa.Tome outros ônibus.Mude por uns tempos o estilo das roupas.Dê os teus sapatos velhos. Procure andar descalçoalguns dias.Tire uma tarde inteira pra passear livremente napraia, ou no parque,e ouvir o canto dos passarinhos.Veja o mundo de outras perspectivas.Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.Durma do outro lado da cama...depois, procure dormir em outras camas.Assista a outros programas de TV, compre outrosjornais... leia outros livros.Viva outros romances.Não faça do hábito um estilo de vida.Ame a novidade.Durma mais tarde. Durma mais cedo.Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.Corrija a postura.Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes,novos t

Faça algo diferente na sua vida

"Ainda pior que a convicção do não, a incerteza do talvez, é a desilusão de um "quase". É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono. Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor, não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo