Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo ser humano

Verdadeiramente humano

"Não importa que você não consiga memorizar todos os ensinamentos adquiridos ao longo de sua vida. No processo de se conectar diversas vezes à sabedoria a sua mente e o seu coração vão se depurando." Um discípulo chegou para seu mestre e perguntou: Porque devemos ler, estudar, considerar e refletir sobre a sabedoria se nós não conseguimos memorizar tudo e, com o tempo, acabamos esquecendo? Somos obrigados, constantemente, a retomar o que já não está mais em nossas memórias. O mestre não respondeu imediatamente ao discípulo. Ele fitou o horizonte por alguns instantes e depois ordenou ao discípulo: Pegue aquele cesto de junco, desça até o riacho, encha o cesto de água e o traga até aqui. O discípulo olhou para o cesto sujo e achou muito estranha a ordem do mestre, mas mesmo assim obedeceu. Pegou o cesto, desceu os cem degraus da escadaria do mosteiro até o riacho, encheu o cesto de água e começou a subir de volta. Como o cesto era todo cheio de furos, a água foi es

Máquinas

"Danem-se dogmas.....  pois não somos máquinas" - Stuka Angyali Você já sentiu medo? Já ficou assustado ou verdadeiramente apavorado? Você já se sentiu triste ou angustiado, mesmo sem compreender o motivo? Você já se sentiu agitado, inquieto, insone, tenso, deslocado? Você já se sentiu alegre?....mesmo sem qualquer motivo? Você já sentiu??? Sabe o que é sentir? Sabe o que é emoção? Já sentiu dor? Não....não estou falando de dor física. Não estou falando da dor de um ferimento na pele, da dor de estômago, da dor de cabeça, da dor do infarto... Não...não!!! Estou falando da dor invisível. Que maluquice, não é mesmo!? Afinal, se é invisível não existe! Pois é!! É assim que todos julgam. É assim que todos pensam. “Isso não existe”, “isso é da cabeça”, “precisa achar um trabalho”, “frescura” Palavras lançadas como flechas que causam mais dor para quem a sente. Dores na alma são invisíveis. Dores na alma são subjetivas.... Dores na alm

Espalhe a idéia

Em uma aldeia onde havia muitos colecionadores que passavam a vida colecionando objetos descartados pelas outras pessoas. Os colecionadores descobriram que uma vez que se tenha uma grande e variada quantidade de artigos descartados, eles se tornam valiosos novamente. 

O tempo e a vida

365... chegando na reta final.  Mais um ano que passou tão rápido. Engraçado como a sensação é coletiva. Outro dia falávamos sobre o assunto e como vivemos um tempo diferente. Sim, "tempos diferentes", não somente quanto aos hábitos do ser humano e às novas tecnologias e evoluções existentes, mas também no sentido mais estrito da palavra. O mundo evolui, embora o ser humano não consiga acompanhar em sua evolução pessoal, aprendendo amar, respeitar e seguir os melhores caminhos. Corremos de um lado ao outro. O dia que começou há poucas horas parece chegar ao fim, mal tendo iniciado. E nos momentos em que nos permitimos parar alguns segundos ou minutos no decorrer do dia, pensamos: o que faço com meu tempo? qual é o meu tempo? Você sabe em que tempo vive? Encaixa-se totalmente nas vivências destes tempos? Final de ano sempre foi tempo de fazer planos e tentar estabelecer metas. ....vou fazer isso ou aquilo... Mais 365 dias... Talvez e, muito provavelm

Faça a diferença

Simplesmente lindo! Reflita sobre a vida....   “Que você saiba como aproveitar os seus dias e as pessoas que ama;   Que você consiga dizer tudo o que sente;   Que você saiba agradecer;   Que você cuide das pessoas, dos animais e das plantinhas;   Que você valorize tudo aquilo que a vida lhe dá;   Que você entenda que toda hora é hora de ajudar alguém;   Que você pratique a gentileza no seu dia a dia;   E, por fim, que você compreenda que um simples gesto pode fazer a diferença na vida do outro."

Aproveite o momento

Ahh!! Enfim chegou o Natal ! Nada como os encantos dessa época do ano. Tão bom sentir o clima desse momento. Fica tudo mais tranquilo, mais em paz. O ser humano fica mais humano e parece lembrar disso. Lembra-se que existe fraternidade Que existe o bem-querer e o amor. Ahh..... o Natal!!! Momento de paz e luz Aproveite o momento e faça uma reflexão Pense como foi seu ano e suas ações Reflita se fez tudo que podia ter realizado pelo semelhante. Reflita se pode melhorar e evoluir como ser humano E o mais importante, pense sobre o verdadeiro significado do Natal. Vale a pena! Um Natal cheio de paz, luz, amor e harmonia E um Novo Ano com realizações maravilhosas

A importância da Saúde Mental

Não há Saúde sem Saúde Mental Adoecer psiquicamente não é prerrogativa da modernidade. É tão humano quanto nascer ou morrer, ter diabetes, hipertensão arterial, hemorragia. Adoecer faz parte da condição humana. Quando alguém adoece, é natural que receba afeto, simpatia e compreensão para superar o problema. O mesmo não acontece quando essa pessoa adoece por um transtorno mental. A doença, nesse caso, pode ser interpretada como sinal de fraqueza, de autoflagelo, de covardia. Guardada a devida distância, é uma reação semelhante a que os romanos manifestavam em relação aos portadores de lepra - uma condição considerada degradante, dolorosa e contagiante. Melhor evitá-los, colocando-os em lugares bem longe das cidades, confinados. Foi essa a lógica que levou à criação dos asilos para os desvalidos na França, na Inglaterra e no Brasil, a partir do final do século XVIII. Adoecer psiquicamente não é prerrogativa da modernidade. É tão humano quanto nascer ou morrer. Não há civilização

Dentro de você

Bem, já que mais uma semana se inicia, vale a pena refletir sobre uma questão básica: O que posso fazer para que o mundo seja melhor? Fome e desespero Será que o mundo depende de atitudes extravagantes ou grandiosas para que seja melhor? Creio que não! O mundo melhor começa dentro de cada ser humano. Dentro de cada um de nós é possível florescer as atitudes que podem tornar o mundo maravilhoso. Nosso mundo interior pode ser o grande responsável por aquilo que desejamos viver. Então que tal iniciar a semana tornando seu mundo interior um lugar fantástico? Pense de que forma isso é possível, afinal não é difícil. Temos duas mãos, dois pés, dois olhos e dois ouvidos. Que tal utilizá-los da melhor forma possível? Proponha-se a ouvir mais e pense muitas vezes antes de falar qualquer coisa que possa machucar. Dê ouvidos a quem necessita expôr suas feridas emocionais ou mazelas existenciais. Seja paciente. Olhe ao seu redor. Muito próximo, com certeza,  há p

Almas que choram

Você acredita que está imune? Já sangrou em sua alma? Se já passou por um sofrimento emocional bem sabe a dor. Se nunca passou, lembre-se: JAMAIS JULGUE!! Pensamentos diários, semblantes interrogativos. Diálogos perdidos, monólogos da alma. Medos, aflições, Dúvidas, angústias, Dores no peito, solidões. Almas que choram. Buscam soluções flagelos do ser. Humanos no caos de um labirinto interior. Medo da loucura, da perda da razão. Anseios frustrados diante de um "não" Ahhh!! humanos Tantos pensamentos, tantos sentimentos... Quanta busca!! E na procura de algo incerto, sem bem saber o que buscar ou querer sofrem humanos. Imerso em devaneios, nos monólogos da alma, vive, o ser, a penúria emocional.  

Quem é Viviam ?

Quem é Viviam? Dos campos arados, Que esgota forças E pinga suores, Lavrando a terra. Das obras que arranham Os céus... ...e as mãos calejadas. Dos lares administrados Pelas mãos suaves, Mas tão poderosas. Dos consultórios e escritórios, Das lojas, fábricas e indústrias. Somos eu, você e eles? São todos? Que trabalham incansavelmente. Que gastam seus dias Em expedientes infindáveis. São aqueles que sobrevivem à vida. Almas que vivem as mazelas dos ponteiros... ...de relógios, Que ditam cada segundo de suspiro. Vidas.... E você... Vive Viviam?

Mentirinha travessa

Há um abismo entre “não conseguir ser feliz” e “não se permitir a felicidade”. “Felicidade”- Apenas uma palavra que simboliza contextos tão amplos e variados. Quem não quer ou não a busca? Dizer o contrário poderia ser uma mentirinha ou uma maneira travessa na tentativa de burlar a si mesmo. No final das contas, ainda é o tipo de sentimento que está presente no topo das listas de desejos. Contudo, a maior parte dos seres humanos afirma nunca atingir esse objetivo. Mas como pode? Será tão difícil? É algo tão impalpável? E aqui cabe um parêntesis importante. Os sentimentos, de forma geral, são realmente impalpáveis. É impossível mensurar felicidade ou tristeza, assim como raiva, ansiedade, etc. O sentimento cabe a quem o sente e, ainda assim, as emoções manifestas nem sempre serão a melhor representação do que se passa dentro do indivíduo. Mas retornando à felicidade tão almejada, é possível observar que muitas pessoas são felizes – ou pelos menos deveriam ser ou assim se

Humanamente Genial

O ser humano tão genial, Inventor de modernas tecnologias, Criou poderosos microscópios Capazes de desvendar Imagens tão infinitamente pequenas. Ultrapassando qualquer barreira da luz Chegou à orbita molecular das células. O ser humano, Em sua genialidade, Foi capaz de criar telescópios Que enxergam tão longinquamente Planetas e estrelas Orbitando em seus sistemas solares. Mas sofre o ser, Tão humanamente genial, Em abissais sentimentos. Pois não acha a órbita de Sua própria Alma.

VALORES - imposições e escolhas

Houve uma época na qual os educados senhores abriam a porta de seus carros para que a dama pudesse entrar. Os homens eram gentis. Houve época na qual os gentis senhores levantavam-se da cadeira, assim que sua dama chegasse ou saísse da mesa. Os homens eram polidos. Houve um momento, na história do ser humano, na qual a polidez era característica primordial da espécie. Naquela época se falava: “bom dia”, “boa tarde”, “boa noite”, “como vai”, “tenha um belo dia”, “prazer em conhecê-lo(a)”, “por favor”, “obrigado”. Naquela época também as damas sabiam ser valorizadas por sua graciosidade e discrição. Também nessa época, a sexualidade era algo exclusivamente pertencente àquela pessoa, sem necessidade de propagandas ou alusões à promiscuidade. Obviamente, mesmo naquela e em tantas outras épocas, havia a deselegância, a desonestidade e todo tipo de atitude associada ao caráter individual. Entretanto, o pior cenário contemporâneo não é a encenação de tantos atos insanos e de t

Ser irresoluto

"Ser apenas mais um Entre tantos de si. Ser apenas mais um Entre tantos circundantes. Eternamente irresoluto, Ser o destoante ser! Incongruentes desejos De insânia inquietude. Aturdido em consumismos, Perde-se em devaneios: Entre o essencial E o querer Ahh! Energúmeno ser Embasbacado Entre poder E pudor." "Sempre que tiveres dúvidas, ou quando o teu eu te pesar em excesso, experimenta o seguinte recurso: lembra-te do rosto do homem mais pobre e mais desamparado que alguma vez tenhas visto e pergunta-te se o passo que pretendes dar lhe vai ser de alguma utilidade. Poderá ganhar alguma coisa com isso? Fará com que recupere o controle da sua vida e do seu destino? Por outras palavras, conduzirá à autonomia espiritual e física dos milhões de pessoas que morrem de fome? Verás, então, como as tuas dúvidas e o teu eu se desvanecem." Gandhi Portinari - "criança morta" 

Legado de miséria

D. Cacilda é uma senhorinha octogenária, muito frágil e humilde, mãe de nove filhos. Conseguiu, sob todas as dificuldades, torná-los homens e mulheres adultos. E com sua sabedoria ensinou-lhes as coisas certas da vida e o que é bom ou ruim. Seus filhos, todos casados, com suas ocupações e trabalhos, vivem correndo. D. Cacilda tem também muitos netos, talvez mais de 30, dentre os quais muitos já adultos e até casados. Mas, infelizmente, apesar dessa família tão numerosa de D.Cacilda, não escapa a senhorinha à solidão. D. Cacilda já se faz viúva há alguns anos e vive solitária em sua casinha, a relembrar de seus longos e passados anos ao lado de seu amado e companheiro marido. Sua modesta casa sempre foi o lar acolhedor para qualquer pessoa. E nunca houve quem ali não se sentisse confortado. Mas a vida tem seu ciclo. D.Cacilda, já tão frágil caiu doente, de cama, totalmente debilitada e dependente. Os anos pesaram em seus ombros já bastante arqueados. Mas que bom, ela tem tanto

O Bicho Homem

Você conhece a Ilha das Flores? Se ainda não teve o prazer, assista a esse vídeo curtinho. São apenas 12 minutinhos de sua saudável vida. Tenha paciência e assista até o fim. Vale a pena refletir a respeito, mesmo que seja chocante e possa expôr nossa pequenez. Ilha das Flores é um filme de curta-metragem brasileiro, do gênero documentário, escrito e dirigido pelo cineasta Jorge Furtado em 1989, com produção da Casa de Cinema de Porto Alegre. O filme inicia situando o expectador, para que não haja dúvida da veracidade do que virá a seguir. Utilizando se de termos científicos, a realidade vai sendo desnudada. Através de uma narrativa que segue uma cadência e vai demonstrando a angústia descritiva dos fatos, podemos chegar ao momento crucial e agonizante. Prêmios do documentário: Melhor filme de curta-metragem (e mais 8 prêmios) no 17° Festival de Gramado, 1989. Urso de Prata para curta-metragem no 40° Festival de Berlim, 1990. Prêmio Air France como melhor curta brasileiro do

A busca da pedra filosofal

 A alquimia teve suas origens no Egito Antigo, atingindo seu auge entre os séculos XIV e XVI. Na cidade de Alexandria reuniam-se escritos de uma antiga técnica egípcia chamada kymiâ. Essa técnica egípcia envolvia o domínio dos processos químicos de embalsamamento e a manipulação de metais. Entrando em contato com a sabedoria grega, a kymiâ passou a considerar que toda matéria era constituída por quatro elementos básicos: terra, ar, água e fogo. Falava-se que os alquimistas eram bruxos, pessoas capazes de transformar chumbo em ouro. Já pensou que maravilha? Sua busca constante era pela pedra filosofal, substância que misturada aos metais provocava a esperada transmutação . A intenção era o encontro do puro, do perfeito. Quem sabe a tal  pedra filosofal fosse o caminho para a autopurificação, encontro da perfeição espiritual e conseqüente imortalidade? De certo modo, todos nós precisamos ser alquimistas para ver além das