Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo homenagem

Obrigado por tudo meu mestre

Pai, Palavra mágica. Assim como “mãe” tem apenas 3 letras. Palavras curtas com tamanha importância e grandiosidade. Pai, Por definição, no dicionário, aquele que tem 1 ou mais filhos. O gerador, genitor, cuidador, benfeitor. Mas pai pode ter filhos e não ser pai. Pode ser o genitor e nem conhecer seus descendentes. Pode conviver com seus filhos e ser um carrasco e agressor. Pai, Não é aquele que dá o direito de um sobrenome no documento de identidade. Não é aquele que simplesmente paga a pensão de filhos para cumprir obrigações. Nem tampouco aquele que dá dinheiro para comprar atenção ou substitui afeto. Os dicionários pecam em suas definições quando se limitam às regras gramaticais ou semânticas. Não conseguem palpar as regras fundamentais de nossa existência: sentimentos e emoções. Pai, Afeto, dedicação, carinho, companheirismo, cumplicidade, confiança, amor. Aquele que fala de seus filhos com a boca cheia de orgulho. Abraça e beija, mas também sabe o momen

Feliz dia dos Pais

Quando o sol ainda não havia cessado seu brilho, Quando a tarde engolia aos poucos As cores do dia e despejava sobre a terra Os primeiros retalhos de sombra Eu vi que Deus veio assentar-se  Perto do fogão de lenha da minha casa Chegou sem alarde, retirou o chapéu da cabeça E buscou um copo de água no pote de barro Que ficava num lugar de sombra constante. Ele tinha feições de homem feliz, realizado Parecia imerso na alegria que é própria De quem cumpriu a sina do dia e que agora Recolhe a alegria cotidiana que lhe cabe. Eu o olhava e pensava:  Como é bom ter Deus dentro de casa! Como é bom viver essa hora da vida Em que tenho direito de ter um Deus só pra mim. Cair nos seus braços, bagunçar-lhe os cabelos, Puxar a caneta do seu bolso  E pedir que ele desenhasse um relógio Bem bonito no meu braço Mas aquele homem não era Deus, Aquele homem era meu pai E foi assim que eu descobri  Que meu pai com o seu jeito finito de ser Deus Revela-me Deus com seu Jeito infinito de ser homem.- Pe

Esse ser Mãe

Ser Mãe Momentos inesquecíveis Emoções imensuráveis Sentimentos incomparáveis Impregnados na alma Ser mãe Doação definitiva Amor incondicional Coração que pulsa Fora do peito Em amor desmedido Atemporal Ser mãe Amor, carinho, preocupação Vidas entrelaçadas Interligadas De forma definitiva e total Ser mãe Indescritível Indecifrável Poder concedido Somente a esse ser especial Ser mãe Simplesmente assim... Dom da vida

A difícil arte de amar e do desprendimento

Ela surgiu! Tão magra e doente. Vivia nas ruas, passando fome, frio e medo. Seu nome era “Marela”, chamada assim de forma cabocla, porque era loura como um bom alemão. Mas foi batizada BIA, tão logo chegara ao nosso convívio. No começo era assustada e nervosa. Comia desesperadamente ( pois já passara muita fome em tão pouco tempo de vida ). Mas Bia foi se acostumando com o tempo. Sabia que nesse lar teria seu alimento no momento certo, assim como água limpa e fresca. Sabia que não seria chutada ou mal tratada. Sabia que teria um cantinho quente e protegido do frio e da chuva. Bia engordou, ficou bonita e alegre. Arrumou um namorado e tiveram filhos. Passou a viver em família de iguais. Ela, seu namorado e seus três filhos. Uma família feliz! Que lindo ver como se amam e se respeitam. Que lindo ver os cuidados de Bia com seus filhos. Que lindo ver como todos são unidos. O tempo passou, os filhos cresceram. Bia e seu namorado envelheceram. Mas todos vivem juntos.

Para sempre

"Por que Deus permite que as mães vão-se embora? Mãe não tem limite, é tempo sem hora, luz que não apaga quando sopra o vento e chuva desaba, veludo escondido na pele enrugada, água pura, ar puro,puro pensamento. Morrer acontece com o que é breve e passa sem deixar vestígio. Mãe, na sua graça,é eternidade. Por que Deus se lembra- mistério profundo -de tirá-la um dia? Fosse eu Rei do Mundo, baixava uma lei:Mãe não morre nunca, mãe ficará sempre junto de seu filho e ele, velho embora, será pequenino feito grão de milho" Carlos Drummond de Andrade