Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo emoções

Capacidade de cultivar bons sentimentos

  Vivemos dias conturbados, de muita correria, sempre às voltas com problemas pessoais e familiares. A vida moderna é marcada pela competitividade. As maravilhas das novas tecnologias a um só tempo atraem e assustam. O mundo do trabalho exige empenho e atualização constante. Desde crianças somos empurrados ao consumismo, a buscar o sucesso e o bem-estar material a qualquer custo. Neste ambiente, esquecemos muitas vezes de que somos seres humanos, esquecemos de construir nossa felicidade com base em valores perenes. Pergunto: Você se considera uma pessoa feliz? Você sabe lidar com as carências do seu coração, com as dores da alma, com o sofrimento físico e as doenças? Rico ou pobre, empregado ou desempregado, pai ou filho, jovem ou idoso, você consegue encarar os “vazios” que vez ou outra atravessam o caminho e engolem nossas forças? É muito normal sentir vazios e carências. Anormal é não buscar sair deles. O sofrimento faz parte da nossa longa e árdua caminhada. Para não ficar pelo cam

Espalhe a idéia

Em uma aldeia onde havia muitos colecionadores que passavam a vida colecionando objetos descartados pelas outras pessoas. Os colecionadores descobriram que uma vez que se tenha uma grande e variada quantidade de artigos descartados, eles se tornam valiosos novamente. 

O tempo e a vida

365... chegando na reta final.  Mais um ano que passou tão rápido. Engraçado como a sensação é coletiva. Outro dia falávamos sobre o assunto e como vivemos um tempo diferente. Sim, "tempos diferentes", não somente quanto aos hábitos do ser humano e às novas tecnologias e evoluções existentes, mas também no sentido mais estrito da palavra. O mundo evolui, embora o ser humano não consiga acompanhar em sua evolução pessoal, aprendendo amar, respeitar e seguir os melhores caminhos. Corremos de um lado ao outro. O dia que começou há poucas horas parece chegar ao fim, mal tendo iniciado. E nos momentos em que nos permitimos parar alguns segundos ou minutos no decorrer do dia, pensamos: o que faço com meu tempo? qual é o meu tempo? Você sabe em que tempo vive? Encaixa-se totalmente nas vivências destes tempos? Final de ano sempre foi tempo de fazer planos e tentar estabelecer metas. ....vou fazer isso ou aquilo... Mais 365 dias... Talvez e, muito provavelm

Dentro de você

Bem, já que mais uma semana se inicia, vale a pena refletir sobre uma questão básica: O que posso fazer para que o mundo seja melhor? Fome e desespero Será que o mundo depende de atitudes extravagantes ou grandiosas para que seja melhor? Creio que não! O mundo melhor começa dentro de cada ser humano. Dentro de cada um de nós é possível florescer as atitudes que podem tornar o mundo maravilhoso. Nosso mundo interior pode ser o grande responsável por aquilo que desejamos viver. Então que tal iniciar a semana tornando seu mundo interior um lugar fantástico? Pense de que forma isso é possível, afinal não é difícil. Temos duas mãos, dois pés, dois olhos e dois ouvidos. Que tal utilizá-los da melhor forma possível? Proponha-se a ouvir mais e pense muitas vezes antes de falar qualquer coisa que possa machucar. Dê ouvidos a quem necessita expôr suas feridas emocionais ou mazelas existenciais. Seja paciente. Olhe ao seu redor. Muito próximo, com certeza,  há p

Almas que choram

Você acredita que está imune? Já sangrou em sua alma? Se já passou por um sofrimento emocional bem sabe a dor. Se nunca passou, lembre-se: JAMAIS JULGUE!! Pensamentos diários, semblantes interrogativos. Diálogos perdidos, monólogos da alma. Medos, aflições, Dúvidas, angústias, Dores no peito, solidões. Almas que choram. Buscam soluções flagelos do ser. Humanos no caos de um labirinto interior. Medo da loucura, da perda da razão. Anseios frustrados diante de um "não" Ahhh!! humanos Tantos pensamentos, tantos sentimentos... Quanta busca!! E na procura de algo incerto, sem bem saber o que buscar ou querer sofrem humanos. Imerso em devaneios, nos monólogos da alma, vive, o ser, a penúria emocional.  

Que sentimento é esse?

Que sentimento é esse? Tão paradoxal em si mesmo. Na mistura de sabores, Entre o doce e o amargo. Que sentimento é esse? Tão somatizante, misturando dores, Entre corpo e alma Ahh sentimento!! Que provoca emoções Que se chocam Entre o sorrir e chorar. Que sentimento é esse? Tão confuso na certeza De que incomoda senti-lo Porque dói mesmo sem querer. Sentimento .... Que não se traduz, Nem se define.  Tão intenso em adjetivos. Que sentimento é esse? Que esvazia seu peito Tão cheio.... .....de sentimentos? Sentimento forte, Que carrega o Amor em seus braços Enquanto luta contra seu algoz, A distância. Sentimento Que se apoia Nos calcanhares da lembrança E nos braços da memória. Saudade! Como disse Mário Quintana, “O tempo não para! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo.” Muito bom saber que o tempo passa tão rápido, enquanto as lembranças não se esquecem.

Os dias passam

Fiz uma viagem na pintura do horizonte.... No matiz maravilhoso do crepúsculo divaguei, divaguei.... Que espanto!! Os dias passam tão rapidamente e nem nos damos conta de todas as maravilhas que poderíamos observar a cada dia. Sentimentos dentro da Alma Amores, rancores... Paixões, solidões.... Emoções manifestam-se Nessa natureza humana, tão pequena diante do todo, Mas tão gigante em si mesma! Aproveite um novo ciclo que se inicia Repense sentimentos, palavras e atitudes Viva intensamente!  Observe as belezas que Deus lhe proporcionou.

Mentirinha travessa

Há um abismo entre “não conseguir ser feliz” e “não se permitir a felicidade”. “Felicidade”- Apenas uma palavra que simboliza contextos tão amplos e variados. Quem não quer ou não a busca? Dizer o contrário poderia ser uma mentirinha ou uma maneira travessa na tentativa de burlar a si mesmo. No final das contas, ainda é o tipo de sentimento que está presente no topo das listas de desejos. Contudo, a maior parte dos seres humanos afirma nunca atingir esse objetivo. Mas como pode? Será tão difícil? É algo tão impalpável? E aqui cabe um parêntesis importante. Os sentimentos, de forma geral, são realmente impalpáveis. É impossível mensurar felicidade ou tristeza, assim como raiva, ansiedade, etc. O sentimento cabe a quem o sente e, ainda assim, as emoções manifestas nem sempre serão a melhor representação do que se passa dentro do indivíduo. Mas retornando à felicidade tão almejada, é possível observar que muitas pessoas são felizes – ou pelos menos deveriam ser ou assim se

Castração

Você é o que pensa ser ou o que a sociedade determina que seja? Seus sentimentos realmente lhe pertencem? "Por vezes ou quase a todo instante o dilema. Devo ser ou determinado serei. Sendo “bonzinho”, amável e "bom tudo" Seria eu mesmo? Se não aceito determinações ou castrações, Seria eu um pária? E nesse conflito existencial Deixo-me à mercê De meus sentimentos."

O medo das diferenças

“... Lekh me entregava um pássaro pintado, mandando que eu o apertasse de leve nas mãos. Cedo seus gritos atraíam companheiros da mesma espécie, que se punham a revoar sobre nossas cabeças. Vendo-os, o prisioneiro debatia-se gritando ainda mais; e o coração trancado no peito recém pintado batia violentamente. Quando o número de pássaros era suficiente, Lekh fazia-me sinal para soltar o prisioneiro. Livre e feliz, lançava-se para o alto, contra o céu cinzento, mergulhando na revoada escura de seus irmãos. Por um instante, a surpresa tolhia os pássaros. A mancha colorida voava em meio ao bando, tentando convencê-los de que lhe pertencia. Mas, confundidos pela plumagem brilhante, os outros o rodeavam incrédulos e quanto mais o pássaro pintado tentasse incorporar-se ao bando, mais o rejeitavam. Logo, um depois o outro, começavam a atacá-lo arrancando-lhe as penas multicores, até fazer-lhe perder as forças precipitando-o ao chão. Esses incidentes aconteciam com freqüência, e, geralme

Identidades engessadas

"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo." Clarice Lispector Quantas vezes por dia é capaz de permitir o auto questionamento? Consegue estabelecer um diálogo interno? Ou se sente completamente dono de toda razão ou princípio? Conhecer ou reconhecer a própria identidade é um exercício que exige honestidade e mente flexível. Mas entenda-se que um diálogo interior não pode submeter-se à enxurrada de pensamentos que, invariavelmente, invadem a mente. Reserve poucos minutos de cada dia para que possa silenciar sua mente. Isso é importantíssimo, afinal uma mente conturbada e inundada em pensamentos pode irromper emoções angustiantes. À medida que você consegue coordenar esse processo mental, será capaz de quebrar paradigmas e ganha a oportunidade de novos aprendizados e idéias. Obviament

VALORES - imposições e escolhas

Houve uma época na qual os educados senhores abriam a porta de seus carros para que a dama pudesse entrar. Os homens eram gentis. Houve época na qual os gentis senhores levantavam-se da cadeira, assim que sua dama chegasse ou saísse da mesa. Os homens eram polidos. Houve um momento, na história do ser humano, na qual a polidez era característica primordial da espécie. Naquela época se falava: “bom dia”, “boa tarde”, “boa noite”, “como vai”, “tenha um belo dia”, “prazer em conhecê-lo(a)”, “por favor”, “obrigado”. Naquela época também as damas sabiam ser valorizadas por sua graciosidade e discrição. Também nessa época, a sexualidade era algo exclusivamente pertencente àquela pessoa, sem necessidade de propagandas ou alusões à promiscuidade. Obviamente, mesmo naquela e em tantas outras épocas, havia a deselegância, a desonestidade e todo tipo de atitude associada ao caráter individual. Entretanto, o pior cenário contemporâneo não é a encenação de tantos atos insanos e de t

Arte Emocional

A lira, instrumento musical de cordas, foi bastante utilizada pelos gregos para acompanhar versos poéticos de forma melodiosa. Desde o século IV a.C os poemas pequenos, através dos quais os poetas manifestavam sentimentos, tornaram-se conhecidos como poesias líricas, graças à melodia das liras. Assim, observa-se que o lirismo está associado diretamente à sonoridade da música e do canto. Na literatura é possível notar que as poesias líricas apresentam uma sonoridade peculiar, propiciando ao leitor SENTIMENTOS e EMOÇÕES de forma maravilhosa. Na música lírica também é assim, manifestando emoções irrefreáveis. É a tônica do lirismo, que poderia ser designado como a ARTE EMOCIONAL. O lírico pode ser um excelente representativo de estado de ALMA , simbolizando o “eu” e suas experiências e expectativas diante da vida. Enfim, quem vive a intensidade dos sentimentos consegue identificar-se com as poesias e músicas líricas. Deleite-se nos versos abaixo e, depois, permita-se viajar na melodia da

A miséria de cada um

Hoje escutei essa frase: “meu trabalho permite que veja a miséria emocional de muitos” Essa frase permite reflexões importantes acerca de nossas emoções. Se você é ser humano já sentiu medo, raiva, vergonha, tristeza, alegria, angústia em alguns momentos de sua existência. Obviamente, todos nos sujeitamos à dinâmica da vida, que nos conduz entre circunstâncias variadas no cotidiano. Cada um reage a essas circunstâncias conforme aprendeu desde a infância, como parte de um aprendizado e formação de personalidade. Alguns sofrem mais que outros, mesmo diante de situações semelhantes. Mas o que difere? Sem dúvida, a importância que damos a uma situação faz a diferença em nossas manifestações emocionais. Administrar as emoções é saber determinar o valor de cada circunstância. Se fizer de todo fato cotidiano uma dificuldade ou tempestade maior do que deveria, com certeza sofrerá, mais do que precisa. Inegável que, em algumas ocasiões, nossas respostas emocionais serão pr

A arte de Viver

Amanheceu um dia lindo, o sol brilhava e iluminava o jardim cheio de flores, cada qual mais imponente e perfumada que a outra. Começava, enfim, a primavera. Havia rosas desabrochando, papoulas excitadas, jasmins que balançavam ao vento, margaridas em grupos, violetas excêntricas. O jardim mais parecia uma festa à luz do dia. Todos que ali passavam admiravam a riqueza daquele instante, a profundidade daquele momento e podiam sentir aquele aroma que trazia paz. O colorido era maravilhoso, rosas vermelhas, margaridas amarelas, violetas roxas....tudo perfeito, tudo completo. A grama completava aquele cenário irretocável e os raios de sol pousavam para emoldurar aquele momento. Chegou então o jardineiro, para dar amor e carinho àquelas flores, fazendo o seu serviço em silêncio. Podou, regou, plantou novas sementes, quando de repente percebeu que era observado por alguém que lhe disse: - Que belo jardim, você é um artista, conseguir manter assim tudo perfeito, é uma arte. Ele então re

Velhos Tempos

Tudo muda.... Houve um tempo em que se pedia “a benção” aos pais quando se acordava pela manhã ou se deitava para dormir, assim como antes de sair de casa. Hoje os filhos nem sabem o que significa pedir “a benção”, Afinal mal falam bom dia ou boa noite. E para sair de casa nem precisam falar aonde vão. Um filho, nesse tempo, referia-se aos pais ou pessoas mais velhas como “Sr” e “Sra”. Hoje os filhos se referem aos pais ou pessoas mais velhas como “Você”, Afinal nem sabem o significado de um pronome de tratamento respeitoso. Houve um tempo que não se falava enquanto adultos estivessem falando. Hoje os filhos falam enquanto os pais se obrigam a ficar quietos, Afinal nem sabem o que é ouvir. Os filhos, certamente, compreendiam o olhar recriminador de seus pais. Hoje se um pai lança um olhar recriminador ao filho, Passará despercebido ou ouvirá: “que cara feia é essa, velho?” Houve um tempo em que um filho pedia, por favor, ou “eu posso?” Hoje um filho não pede, por favor, e

Como vai sua Alma?

"Desordem Depressiva; Síndrome de Pânico; Transtorno Obssessivo-Compulsivo - Estranhos nomes assume essa coisa que alguns chamam de alma”— L.B.A—Montenegro-RS ) Como falarmos do Ser Humano sem falarmos de sua alma. É impossível separar. Quando buscamos o entendimento da alma notamos vários significados para o termo, desde o religioso, passando pelo filosófico, até chegarmos à mitologia grega no mito de Psiquê. Do grego Psychein (“soprar”) é uma palavra ambígua que significava originalmente "alento" e posteriormente, "sopro". Dado que o alento é uma das características da vida, a expressão "psique" era utilizada como um sinônimo de vida e, por fim, como sinônimo de alma, considerada o princípio da vida. A psique abrange conceitos que nos levam ao Si Mesmo, conceituado da seguinte forma: “O Si mesmo representa o objetivo do homem inteiro, a saber, a realização de sua totalidade e de sua individualidade, com ou contra sua vontade. A dinâmica desse proce

A beleza dos cavalos

Essa é a história sobre Homens e cavalos. Essa é a história de todos nós. Cavalos galopavam, rapidamente, e parecia que os homem que os cavalgam se dirigiam a algum lugar importante.  Outro homem, em pé ao lado da estrada, grita: "Aonde vocês estão indo?"  E um dos homens a galope responde: "Não sabemos. Pergunte aos cavalos!"  Estamos todos sobre cavalos e não sabemos aonde nos conduzem. Não conseguimos pará-los.  Os cavalos são a vida que nos guia, e somos impotentes diante dela. Estamos sempre correndo, e isso já se tornou um hábito. Estamos acostumados a lutar o tempo todo, até mesmo durante o sono. Estamos em guerra com nós mesmos, e é fácil declarar guerra aos outros também. Precisamos aprender acalmar nossos pensamentos, a força de nossos hábitos, nossa desatenção, bem como as emoções intensas que nos regem.  Quando uma emoção nos assola, ela se assemelha a uma tempestade, que, muitas vezes, chega de mansinho, mas provoca estragos, levando consigo a

As janelas da alma

Os sentimentos normalmente são externalizados por emoções que se transformam em lentes que filtram os acontecimentos, dando-lhes cor e conotação próprias. De acordo com a estrutura e o momento psicológico, os fatos passam a ter significação que nem sempre correspondem à realidade. Quem se utiliza de óculos escuros, mesmo diante da claridade solar, passa a ver o dia com menor intensidade de luz. Na área do relacionamento humano as ocorrências também assumem contornos de acordo com o estado de alma das pessoas envolvidas. Portanto, a necessidade de conduzir os sentimentos e as emoções, de modo a equilibrar os fatos em relação a eles depende essencialmente da maneira como cada indivíduo saiba lidar com determinadas circunstâncias. Uma atitude sensata é um abrir de janelas na alma, a fim de observar bem os sucessos da caminhada humana. De acordo com a dimensão e o tipo de abertura, será possível observar a vida e vivê-la de forma agradável, mesmo nos momentos mai