Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo dor

Almas que choram

Você acredita que está imune? Já sangrou em sua alma? Se já passou por um sofrimento emocional bem sabe a dor. Se nunca passou, lembre-se: JAMAIS JULGUE!! Pensamentos diários, semblantes interrogativos. Diálogos perdidos, monólogos da alma. Medos, aflições, Dúvidas, angústias, Dores no peito, solidões. Almas que choram. Buscam soluções flagelos do ser. Humanos no caos de um labirinto interior. Medo da loucura, da perda da razão. Anseios frustrados diante de um "não" Ahhh!! humanos Tantos pensamentos, tantos sentimentos... Quanta busca!! E na procura de algo incerto, sem bem saber o que buscar ou querer sofrem humanos. Imerso em devaneios, nos monólogos da alma, vive, o ser, a penúria emocional.  

O medo das diferenças

“... Lekh me entregava um pássaro pintado, mandando que eu o apertasse de leve nas mãos. Cedo seus gritos atraíam companheiros da mesma espécie, que se punham a revoar sobre nossas cabeças. Vendo-os, o prisioneiro debatia-se gritando ainda mais; e o coração trancado no peito recém pintado batia violentamente. Quando o número de pássaros era suficiente, Lekh fazia-me sinal para soltar o prisioneiro. Livre e feliz, lançava-se para o alto, contra o céu cinzento, mergulhando na revoada escura de seus irmãos. Por um instante, a surpresa tolhia os pássaros. A mancha colorida voava em meio ao bando, tentando convencê-los de que lhe pertencia. Mas, confundidos pela plumagem brilhante, os outros o rodeavam incrédulos e quanto mais o pássaro pintado tentasse incorporar-se ao bando, mais o rejeitavam. Logo, um depois o outro, começavam a atacá-lo arrancando-lhe as penas multicores, até fazer-lhe perder as forças precipitando-o ao chão. Esses incidentes aconteciam com freqüência, e, geralme

A miséria de cada um

Hoje escutei essa frase: “meu trabalho permite que veja a miséria emocional de muitos” Essa frase permite reflexões importantes acerca de nossas emoções. Se você é ser humano já sentiu medo, raiva, vergonha, tristeza, alegria, angústia em alguns momentos de sua existência. Obviamente, todos nos sujeitamos à dinâmica da vida, que nos conduz entre circunstâncias variadas no cotidiano. Cada um reage a essas circunstâncias conforme aprendeu desde a infância, como parte de um aprendizado e formação de personalidade. Alguns sofrem mais que outros, mesmo diante de situações semelhantes. Mas o que difere? Sem dúvida, a importância que damos a uma situação faz a diferença em nossas manifestações emocionais. Administrar as emoções é saber determinar o valor de cada circunstância. Se fizer de todo fato cotidiano uma dificuldade ou tempestade maior do que deveria, com certeza sofrerá, mais do que precisa. Inegável que, em algumas ocasiões, nossas respostas emocionais serão pr