Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo diferenças

Dentro de você

Bem, já que mais uma semana se inicia, vale a pena refletir sobre uma questão básica: O que posso fazer para que o mundo seja melhor? Fome e desespero Será que o mundo depende de atitudes extravagantes ou grandiosas para que seja melhor? Creio que não! O mundo melhor começa dentro de cada ser humano. Dentro de cada um de nós é possível florescer as atitudes que podem tornar o mundo maravilhoso. Nosso mundo interior pode ser o grande responsável por aquilo que desejamos viver. Então que tal iniciar a semana tornando seu mundo interior um lugar fantástico? Pense de que forma isso é possível, afinal não é difícil. Temos duas mãos, dois pés, dois olhos e dois ouvidos. Que tal utilizá-los da melhor forma possível? Proponha-se a ouvir mais e pense muitas vezes antes de falar qualquer coisa que possa machucar. Dê ouvidos a quem necessita expôr suas feridas emocionais ou mazelas existenciais. Seja paciente. Olhe ao seu redor. Muito próximo, com certeza,  há p

O medo das diferenças

“... Lekh me entregava um pássaro pintado, mandando que eu o apertasse de leve nas mãos. Cedo seus gritos atraíam companheiros da mesma espécie, que se punham a revoar sobre nossas cabeças. Vendo-os, o prisioneiro debatia-se gritando ainda mais; e o coração trancado no peito recém pintado batia violentamente. Quando o número de pássaros era suficiente, Lekh fazia-me sinal para soltar o prisioneiro. Livre e feliz, lançava-se para o alto, contra o céu cinzento, mergulhando na revoada escura de seus irmãos. Por um instante, a surpresa tolhia os pássaros. A mancha colorida voava em meio ao bando, tentando convencê-los de que lhe pertencia. Mas, confundidos pela plumagem brilhante, os outros o rodeavam incrédulos e quanto mais o pássaro pintado tentasse incorporar-se ao bando, mais o rejeitavam. Logo, um depois o outro, começavam a atacá-lo arrancando-lhe as penas multicores, até fazer-lhe perder as forças precipitando-o ao chão. Esses incidentes aconteciam com freqüência, e, geralme

Ser irresoluto

"Ser apenas mais um Entre tantos de si. Ser apenas mais um Entre tantos circundantes. Eternamente irresoluto, Ser o destoante ser! Incongruentes desejos De insânia inquietude. Aturdido em consumismos, Perde-se em devaneios: Entre o essencial E o querer Ahh! Energúmeno ser Embasbacado Entre poder E pudor." "Sempre que tiveres dúvidas, ou quando o teu eu te pesar em excesso, experimenta o seguinte recurso: lembra-te do rosto do homem mais pobre e mais desamparado que alguma vez tenhas visto e pergunta-te se o passo que pretendes dar lhe vai ser de alguma utilidade. Poderá ganhar alguma coisa com isso? Fará com que recupere o controle da sua vida e do seu destino? Por outras palavras, conduzirá à autonomia espiritual e física dos milhões de pessoas que morrem de fome? Verás, então, como as tuas dúvidas e o teu eu se desvanecem." Gandhi Portinari - "criança morta" 

Liberdades de escolha - A consciência nem deveria ter data marcada

"Realmente, se um dia de fato se descobrisse uma fórmula para todos os nossos desejos e caprichos - isto é, uma explicação do que é que eles dependem, por que leis se regem, como se desenvolvem, a que é que eles ambicionam num caso e noutro e por aí fora, isto é uma fórmula matemática exata - então, muito provavelmente, o homem deixaria imediatamente de sentir desejo. Pois quem aceitaria escolher por regras? Além disso, o ser humano seria imediatamente transformado numa peça de um orgão ou algo do gênero; O que é um homem sem desejos, sem liberdade de desejo e de escolha, senão uma peça num orgão?"   Fiodor Dostoievski -- "Cadernos do Subterrâneo"  "O homem nasceu livre e por toda parte vive acorrentado" J J Rosseau

Martian Child

Você já teve a sensação de estar deslocado, de ser diferente, de não pertencer a lugar algum? Provavelmente isso já deve ter acontecido em algum momento com você. ”Ensinando a viver” --é um filme baseado na novela The martian child , do escritor americano Jerrold David Friedman e fala exatamente sobre essa sensação, através do relacionamento entre um homem e seu filho adotivo – ambos com a sensação de se sentirem deslocados no mundo. A história relata quando David (ator John Cusack) era criança e sempre se sentia excluído, discriminado, perseguido por outras crianças na escola, e sonhava com o dia em que ETs viriam resgatá-lo e levá-lo para casa, em outro planeta. Eles nunca vieram, David cresceu, tornou-se um escritor de sucesso e pai adotivo do problemático Dennis, que acredita ser um marciano em missão na Terra! Este filme divertido e emocionante aborda questões como o poder redentor do amor e o real significado de família. Também fala positivamente da adoção de órfãos. O conce

Não é a cor do invólucro

 Um velho homem vendia balões numa quermesse. Para atrair compradores, o homem deixou um balão vermelho soltar e elevar-se nos ares. Perto dali, a observar, havia um menino negro, apreciando com encanto os balões. Depois de soltar o balão vermelho, o homem soltou um azul, depois um amarelo e finalmente um branco. Todos foram subindo até sumirem de vista. O menino, de olhar atento, seguia cada um, sem ao menos piscar. Ficava imaginando mil coisas, mas tinha algo que o aborrecia: o homem não soltava o balão preto. Então aproximou-se do vendedor e lhe perguntou : -- Moço, se o senhor soltasse o balão preto, ele subiria tanto quanto os outros ?  O vendedor de balões sorriu compreensivamente para o menino, arrebentou a linha que prendia o balão preto e enquanto ele se elevava nos ares disse :  -- Não é a cor do invólucro, filho, isso é só tinta por fora! -- É o que está dentro que faz a diferença.

A Alma dos Diferentes

A Alma Dos Diferentes "... Ah, o diferente, esse ser especial! Diferente não é quem pretenda ser. Esse é um imitador do que ainda não foi imitado, nunca um ser diferente. Diferente é quem foi dotado de alguns mais e de alguns menos em hora, momento e lugar errados para os outros. Que riem de inveja de não serem assim. E de medo de não agüentar, caso um dia venham, a ser. O diferente é um ser sempre mais próximo da perfeição. O diferente nunca é um chato. Mas é sempre confundido por pessoas menos sensíveis e avisadas. Supondo encontrar um chato onde está um diferente, talentos são rechaçados; vitórias, adiadas; esperanças, mortas. Um diferente medroso, este sim, acaba transformando-se num chato. Chato é um diferente que não vingou. Os diferentes muito inteligentes percebem porque os outros não os entendem. Os diferentes raivosos acabam tendo razão sozinhos, contra o mundo inteiro. Diferente que se preza entende o porque de quem o agride. Se o diferente se mediocrizar, me

Sem espaço para diferenças

EDWARD – “MÃOS DE TESOURA” A história de Edward é um clássico exemplo de alguém que foi retirado de seu habitat e tenta se ajustar a outro. No entanto, o espaço social que ele passa a ocupar é o mesmo. Ele não se surpreende com o uso de roupas, pois sabe como colocá-las, sabe o que são talheres e outros objetos, pois seu inventor o ensinou. É o contato social ao qual não está acostumado que torna tudo difícil. Edward possui a índole de uma criança. Tudo no mundo lhe é novo, agindo de maneira inocente e sincera, causando empatia com o seu público infantil que o aceita sem julgamentos. O filme é uma verdadeira incursão no mundo adulto, um lugar de julgamentos e nem sempre de aceitação. Partindo do ponto de vista com o qual qualquer criança pode se identificar, ou seja, uma batalha cotidiana contra um prato de comida percebe-se algo de meigo em Edward, quando ele se senta à mesa com a sua nova família e trava uma difícil luta para comer uma ervilha. Porque comer uma ervilha? Para que ser

Solidariedade, Amizade e Amor ao próximo

EspiritosEvoluidos View more presentations or Upload your own. POIS É.....QUANDO PRESENCIAMOS OU OUVIMOS FALAR DE FATOS ASSIM, COMO ESSE QUE ACONTECEU NAS OLIMPIADAS, VALE SEMPRE QUESTIONAR: QUEM É DEFICIENTE? ELES OU NÓS? A SOCIEDADE DISCRIMINA E EXCLUE!!!!!

Aceita-me...

Autor: Roberto S.W. EXORTAÇÃO de UM EXCEPCIONAL Aceita-me! como sou, por questão de justiça e não por piedade. Torna-me! um ser útil, porque de esmolas não quero viver... Livra-me! da ignorância e da dependência, pelo seu dever de cidadão. Põe! em meus lábios a luz de um sorriso e não a sombra tristonha do medo... Ajuda-me! a não ser tão pesado a meus queridos pais, fazendo minha reintegração na sociedade. Reflete! que meu início foi igual ao seu início. Saiba! que as ilusões que cercaram o meu nascer foram as mesmas que seus pais sonharam. Desperta! com seu afeto, a minha mansidão, contra a agressividade que avassala. Olha-me! SOU HUMANO COMO VOCÊ