Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo crianças

Noite feliz

Sempre adorei essa época do ano. A proximidade do Natal parece criar uma atmosfera mágica. Quando éramos crianças aguardávamos ansiosamente essa data. Obviamente a figura do papai Noel povoava nossas imaginações, assim como de todas as crianças. As meias todas penduradas nas janelas e até mesmo na árvore cheia de luzinhas piscantes. Passávamos o dia todo, da véspera de Natal, aguardando a meia-noite chegar. Sabíamos que nesse momento os corações pulsariam mais fortes, já que era quando o bom velhinho deixaria sorrateiramente os presentes para a criançada. Que felicidade!!! E depois de aproveitarmos a ceia de Natal maravilhosa, corríamos para aproveitar os brinquedos. Tempos tão bons!! Ainda mantenho a chama acesa do Natal dentro do lar. E nessa atmosfera mágica, peço ao papai Noel que deixe em todos os lares a alegria da vida. Que todos os lares sejam abençoados com paz, saúde, harmonia e toda a luz de Cristo. Desejo a todos os amigos um Natal maravilhoso e com muito am

K9, apenas mais uma estatística

Exatamente há 9 anos, no dia 25 de maio de 2002, instituía-se no Brasil a data comemorativa como Dia da Adoção. Mas comemora-se exatamente o que?? Porque crianças são retiradas da família e tornam-se alvo de adoção? Subentende-se que toda criança nascida de um ventre que lhe proporciona o amor e cuidados necessários, além do fato óbvio de viver em um lar estruturado, jamais será retirado desse ambiente e colocado em abrigos esperando uma adoção. Mas, infelizmente, estamos falando de um contexto de abandono, negligência e violência ( física, psicólogica e sexual ). Um dos problemas é que se tira a criança desse lar desestruturado e a encaixa em abrigos que também não têm estrutura adequada para lidar com o problema. Abrigos deveriam ter obrigatoriamente uma equipe de profissionais técnicos para elaborar os traumas psíquicos dessa criança. Mas não é a realidade. São apenas “tios” que ali trabalham, mesmo que bem intencionados, como a coordenar verdadeiros albergues infantis. Então quand

Ser irresoluto

"Ser apenas mais um Entre tantos de si. Ser apenas mais um Entre tantos circundantes. Eternamente irresoluto, Ser o destoante ser! Incongruentes desejos De insânia inquietude. Aturdido em consumismos, Perde-se em devaneios: Entre o essencial E o querer Ahh! Energúmeno ser Embasbacado Entre poder E pudor." "Sempre que tiveres dúvidas, ou quando o teu eu te pesar em excesso, experimenta o seguinte recurso: lembra-te do rosto do homem mais pobre e mais desamparado que alguma vez tenhas visto e pergunta-te se o passo que pretendes dar lhe vai ser de alguma utilidade. Poderá ganhar alguma coisa com isso? Fará com que recupere o controle da sua vida e do seu destino? Por outras palavras, conduzirá à autonomia espiritual e física dos milhões de pessoas que morrem de fome? Verás, então, como as tuas dúvidas e o teu eu se desvanecem." Gandhi Portinari - "criança morta" 

Crepúsculo Mental

E quem ainda pode afirmar que a história familiar não tem influências sociais? Tudo começa na infância. Tudo, certamente tudo, tem uma grande significação para a criança. Toda criança, em seu desenvolvimento, tem a mente aberta ao aprendizado. E é nesse ponto que as questões começam pesar. Se essa criança vive em um lar estruturado, ambiente saudável, poderá desenvolver seu maior potencial e tornar-se um adulto íntegro, de bom caráter, seguro, disposto a encarar todas as situações da vida da forma mais tranqüila. _________________________________________________________ Lindor nasceu e seu pai morreu, tinha apenas 1 mês de vida. Sua mãe, uma senhora respeitadíssima, mais puritana impossível. Entre os 10 a 12 anos de idade Lindor sofreu abusos físicos e sexuais de um menino que era seu vizinho. Acabou se acostumando à situação. Lindor cresceu e tornou-se um cidadão respeitável. Aparentemente uma pessoa normal. Ninguém, absolutamente ninguém, sabe o que se passa na mente de Li

Parlendas e nossas lembranças

"Hoje é domingo Pé de cachimbo Cachimbo é de barro Bate no jarro O jarro é de ouro Bate no touro O touro é valente Bate na gente A gente é fraco Cai no buraco O buraco é fundo Acabou-se o mundo."   Nessa data, 22 de agosto, o Brasil comemora o Dia do Folclore. A palavra surgiu a partir de dois vocábulos saxônicos antigos. “Folk”, em inglês, significa “povo”. E “lore”, conhecimento. Assim, folk + lore (folklore) quer dizer ”conhecimento popular”. O termo foi criado por William John Thoms (1803-1885), um pesquisador da cultura européia que, em 22 de agosto de 1846, publicou um artigo intitulado “Folk-lore”.  No Brasil, após a reforma ortográfica de 1934, que eliminou a letra k, a palavra perdeu também o hífen e tornou-se “folclore”. Folclore é o conjunto de todas as tradições, lendas e crenças de um país. O folclore pode ser percebido na alimentação, linguagem, artesanato, religiosidade e vestimentas de uma nação. O folclore brasileiro, um dos mais ricos do mundo, f

Consciência prisioneira

Nunca se assistiu a tanta violência na televisão como nos dias atuais. Não obstante a enormidade de tempo que crianças e adolescentes das várias classes sociais passam diante da TV, é lógico o interesse pelas conseqüências dessa exposição. Até que ponto a banalização de atos violentos, exibidos dentro dos lares, diariamente, dos desenhos animados aos programas de "mundo-cão", contribui para a escalada da violência urbana? Inúmeros estudos demonstraram a existência de relações claras entre a exposição de crianças à violência exibida pela mídia e o desenvolvimento de comportamento agressivo. Quanto acrescenta às nossas vidas e de nossos filhos a enxurrada de notícias sobre violência? O que fazemos a respeito? Somos prisioneiros? ....Onde está sua consciência? "A prisão não são as grades, e a liberdade não é a rua; existem homens presos na rua e livres na prisão. É uma questão de consciência." [Ghandi]

O mundo é meu

Acostumei-me, desde criança, a receber tudo que desejava. Ninguém me falava “Não”. Ninguém me contrariava. Era a filhinha do papai, a netinha do vovô, a sobrinha da titia. Ahhh, como era bom! Agora, vivo insatisfeita, frustrada, deprimida. Tudo porque meu marido não faz minhas vontades. Eu acho que ele está errado. Por isso brigo muito com ele. Estou muito insatisfeita. Não entendo o que há de errado. Será que não posso ser o centro das atenções sempre? Porque o mundo é assim? ---------------------------------------------------------------------------------- Quando nasci, já tinha um “berço de ouro”. Cresci cercado de brinquedos inúmeros. Alguns nem tirei da embalagem. Na adolescência já estava tão enjoado dos paparicos, que resolvi inovar. Comecei usar drogas para ver qual era o barato. Queria ver se conseguia sentir uma emoção diferente. Ainda não era a viagem que faltava fazer. Fiz, então, meu primeiro assalto. Nem era pelo dinheiro. Não nego. Consegui um pouco da a