Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo beleza

Do Micro ao Macro

Nebulosa NGC 6543 -- conhecida como OLHO DE GATO -- situada a 3 milhões de anos-luz da Terra. Nebulosa CABEÇA DE CAVALO -- Tons de vermelho - corresponde a nuvens de poeira e de gás esculpidas por ventos estelares causados pela explosão de SuperNovas. Nebulosa do Caranguejo -- produto da explosão de uma SuperNova vista no ano de 1054. no centro da Nebulosa encontra-se um Pulsar, uma estrela de neutrões com a massa no nosso Sol, mas apenas do tamanho de alguns quilômetros, que roda cerca de 30 vezes por segundo. Pequenas Estrelas jovens - em tons amarelos entremeadas por nuvens de gás aquecido ( manchas azuis ) Galáxia M104 -- comprimento de 50.000 anos-luz e largura de 28.000 Imagens tão fantásticas nos remetem à Maravilhosa Inspiração do CRIADOR. Não há como evitar um paralelo entre o fantástico MicroUniverso dentro de nossa Mente e a vastidão destas imagens. Ambos são muito semelhantes.

FANTASMA DA ÓPERA

Le Fantôme de l'Opéra (O fantasma da ópera ) Novela francesa escrita por Gaston Leroux, inspirada na novela Trilby de George du Maurier. Publicada em 1910 pela primeira vez, foi desde então adaptada inúmeras vezes para o cinema e atuações de teatro, atingindo o seu auge ao ser adaptada para a Broadway, por Andrew Lloyd Webber, Charles Hart e Richard Stilgoe. O espectáculo bateu o recorde de permanência na Broadway (superando Cats), e continua em palco até hoje desde a estréia em 1986. Le Fantôme de l'Opéra foi inúmeras vezes traduzido para o português do Brasil, sendo que as versões mais difundidas são das editoras Ediouro e Ática. A preferência por essas versões devem-se à maior fidelidade à história originalmente criada por Gaston Leroux. O ENREDO O fantasma da ópera é considerada por muitos uma novela gótica, por combinar romance, horror, ficção, mistério e tragédia. Na novela original de Leroux, a ação desenvolve-se no século XIX, em Paris, na Ópera de Paris, um monum

Mulheres -- Ser Especial

Frases retiradas de revistas femininas da década de 50 e 60(PÉROLAS)- Não se deve irritar o homem com ciúmes e dúvidas. (Jornal das Moças, 1957)- Se desconfiar da infidelidade do marido, a esposa deve redobrar seu carinho e provas de afeto. (Revista Cláudia, 1962)- A desordem em um banheiro desperta no marido a vontade de ir tomar banho fora de casa. (Jornal das Moças, 1945)- A mulher deve fazer o marido descansar nas horas vagas. Nada de incomodá-lo com serviços domésticos. (Jornal das Moças, 1959)- Se o seu marido fuma, não arrume briga pelo simples fato de cair cinzas no tapete. Tenha cinzeiros espalhados por toda casa. (Jornal das Moças,1957)- A mulher deve estar ciente que dificilmente um homem pode perdoar uma mulher por não ter resistido às experiências pré-núpciais, mostrando que era perfeita e única, exatamente como ele a idealizara. (Revista Claudia,1962)- Mesmo que um homem consiga divertir-se com sua namorada ou noiva, na verdade ele não irá gostar de ver que ela cedeu.

O Sol

IMPORTÂNCIA DO SOL EM NOSSAS VIDAS É MUITO MAIOR DO QUE POSSAMOS IMAGINAR. ELE É A ENERGIA QUE NOS FAZ SOBREVIVER. VÁRIOS POETAS ADORAM ESCREVER SOBRE O SOL, TANTO QUANTO MUITOS ESCREVEM SOBRE A LUA. PÔR DO SOL O sol morre aos poucosSeu sangue no céuTão rubro e etéreoFlutua e escorre Estrelas, vampirosDa luz tenra e puraConsomem, solenes,Todo o firmamento… Só resta um resquícioDa luz que recua;Pois na rocha nua Ela ainda brilhaA alma do diaBrilhando na lua. Fernando Pessoa O sol queima o que toca. O verde à luz desenverdece. Seca-me a sensação da boca. Nas minhas papilas esquece.