Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo adoecimento

Heróis da resistência

"Meu único desejo, meu tema musical, meu diamante é a educação". Rubem Alves Antigamente, quando se falava em determinadas profissões, acontecia automaticamente uma analogia com os heróis, pois tinham uma representatividade das atitudes corretas e dos comportamentos morais a serem observados e seguidos. Um dos primeiros heróis, simbolicamente,  que temos contato é o professor. Mas é fundamental fazer uma viagem no tempo para que se fale um pouquinho a esse respeito. Os professores simbolizavam, em outros tempos,  a figura de grande autoridade,  detentores do conhecimento. Através dos professores iniciávamos nossa entrada em um novo mundo. Era aquele primeiro momento de sair de nosso "mundinho" restrito ao contexto familiar e penetrar no conhecimento mais amplo. Os professores tinham autoridade. Se ficassem bravos, quando assim fosse necessário, os alunos se calavam e ficavam quietinhos, pois havia respeito. Naquela época não era incomum as criança

A importância da Saúde Mental

Não há Saúde sem Saúde Mental Adoecer psiquicamente não é prerrogativa da modernidade. É tão humano quanto nascer ou morrer, ter diabetes, hipertensão arterial, hemorragia. Adoecer faz parte da condição humana. Quando alguém adoece, é natural que receba afeto, simpatia e compreensão para superar o problema. O mesmo não acontece quando essa pessoa adoece por um transtorno mental. A doença, nesse caso, pode ser interpretada como sinal de fraqueza, de autoflagelo, de covardia. Guardada a devida distância, é uma reação semelhante a que os romanos manifestavam em relação aos portadores de lepra - uma condição considerada degradante, dolorosa e contagiante. Melhor evitá-los, colocando-os em lugares bem longe das cidades, confinados. Foi essa a lógica que levou à criação dos asilos para os desvalidos na França, na Inglaterra e no Brasil, a partir do final do século XVIII. Adoecer psiquicamente não é prerrogativa da modernidade. É tão humano quanto nascer ou morrer. Não há civilização

O conforto de seus braços

É muito bom ter saúde, física e mental! É muito fácil conviver com quem tem saúde física e mental!! Mas assumir uma postura diante da doença nem sempre é tão simples. Ser ou estar doente é um sentimento terrível. Além das dores físicas ou dores da alma, há, normalmente, um sentimento de incapacidade individual. Há o sentimento de culpa por se sentir um “peso” para o cuidador. Quando se trata de um adoecimento mental o quadro é muito mais complexo, uma vez que podem ocorrer as mais variadas alterações de humor e comportamentais. De fato, não é fácil compreender e cuidar de alguém adoecido psiquicamente. Há uma história de um rapaz que volta da guerra e, ao chegar em seu país, liga para seus pais: -Pai, mãe, estou voltando para casa. Mas antes quero pedir um grande favor a vocês. Tenho um amigo que gostaria de levar junto comigo para casa. -Sim filho, claro. Adoraríamos conhecê-lo. -Mas antes há algo que vocês precisam saber, continuou o filho. Ele foi terrivelmen