Capacidade de cultivar bons sentimentos

 Vivemos dias conturbados, de muita correria, sempre às voltas com problemas pessoais e familiares. A vida moderna é marcada pela competitividade. As maravilhas das novas tecnologias a um só tempo atraem e assustam. O mundo do trabalho exige empenho e atualização constante. Desde crianças somos empurrados ao consumismo, a buscar o sucesso e o bem-estar material a qualquer custo. Neste ambiente, esquecemos muitas vezes de que somos seres humanos, esquecemos de construir nossa felicidade com base em valores perenes.

Pergunto: Você se considera uma pessoa feliz? Você sabe lidar com as carências do seu coração, com as dores da alma, com o sofrimento físico e as doenças? Rico ou pobre, empregado ou desempregado, pai ou filho, jovem ou idoso, você consegue encarar os “vazios” que vez ou outra atravessam o caminho e engolem nossas forças?

É muito normal sentir vazios e carências. Anormal é não buscar sair deles. O sofrimento faz parte da nossa longa e árdua caminhada. Para não ficar pelo caminho, é necessário cuidar de nossos corações, de nossas almas, das nossas relações de amor com Deus. Nesta caminhada, devemos fazer tudo para vencer como seres humanos e como filhos de Deus. Do equilíbrio de nossa mente, do andar pelo caminho correto, depende nossa felicidade.

Precisamos cultivar bons sentimentos, amar quem caminha conosco, ajudar os outros a serem felizes – na família, no trabalho, na escola, na comunidade. Cultivar bons sentimentos significa distribuir amor, esperança, carinho, confiança, significa cuidar da plena realização dos que nos cercam. Assim é com o bom pai, a boa mãe, o bom filho, o bom aluno, o bom chefe, o bom empresário, o bom médico, o bom professor, o bom atendente, o bom governante. Assim é com todos, em todas as situações.

Uma corrente de bons sentimentos pode transformar o mundo, evitar injustiças, destruir egoísmos, irradiar esperança. Que os especialistas da ONU se empenhem a fundo na salvação do planeta, que os governantes europeus olhem com mais carinho para as levas de refugiados sírios e de outros países, que os líderes religiosos consigam reconduzir a humanidade para um tempo de paz. Que os filhos nunca deixem de respeitar os pais. Que os pais sejam pacientes e deem o bom exemplo para manter os filhos no caminho correto.

Não se preocupe demais com a aparência física. Não se atormente achando que é alto ou baixo demais, muito gordo ou muito magro, bonito ou feio. Evite aquela obsessão com a aparência exterior que faz algumas pessoas falarem disso o dia inteiro. Só um ignorante se incomoda com essas questões. O corpo é apenas um veículo para a alma. Coloque o foco na sua mente. O que está se passando nela? Se sua mente está cheia de pensamentos incorretos, isso sim deve preocupá-lo mais do que a aparência física. Dê importância ao fato de seu coração ser puro e belo. Seu coração irá se manifestar em sua aparência física. Se sua mente é bonita, essa beleza se refletirá nos seus olhos. Se sua mente é impura, seus olhos ficarão sombrios. O nariz de uma pessoa arrogante acaba realmente parecendo empinado e pontudo demais. A boca de uma pessoa cuja mente é má parecerá torta. Os lábios de quem sempre faz comentários sarcásticos e vive criticando os outros parecerão franzidos e retorcidos. Se a mente da pessoa é perturbada, isso se revela na atitude dela. Pessoas com um coração meigo e calmo nunca provocam desconforto a quem está por perto. Meu amado, antes de melhorar seu corpo, procure deixar sua mente em ordem. Antes de embelezar o corpo, embeleze seu coração. Seja gentil todos os dias. Não se irrite nem fique com raiva. Não fale mal dos outros. Não reclame. Grave estas palavras em seu coração.


Comentários