Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2013

O tempo e a vida

365... chegando na reta final.  Mais um ano que passou tão rápido. Engraçado como a sensação é coletiva. Outro dia falávamos sobre o assunto e como vivemos um tempo diferente. Sim, "tempos diferentes", não somente quanto aos hábitos do ser humano e às novas tecnologias e evoluções existentes, mas também no sentido mais estrito da palavra. O mundo evolui, embora o ser humano não consiga acompanhar em sua evolução pessoal, aprendendo amar, respeitar e seguir os melhores caminhos. Corremos de um lado ao outro. O dia que começou há poucas horas parece chegar ao fim, mal tendo iniciado. E nos momentos em que nos permitimos parar alguns segundos ou minutos no decorrer do dia, pensamos: o que faço com meu tempo? qual é o meu tempo? Você sabe em que tempo vive? Encaixa-se totalmente nas vivências destes tempos? Final de ano sempre foi tempo de fazer planos e tentar estabelecer metas. ....vou fazer isso ou aquilo... Mais 365 dias... Talvez e, muito provavelm

Faça a diferença

Simplesmente lindo! Reflita sobre a vida....   “Que você saiba como aproveitar os seus dias e as pessoas que ama;   Que você consiga dizer tudo o que sente;   Que você saiba agradecer;   Que você cuide das pessoas, dos animais e das plantinhas;   Que você valorize tudo aquilo que a vida lhe dá;   Que você entenda que toda hora é hora de ajudar alguém;   Que você pratique a gentileza no seu dia a dia;   E, por fim, que você compreenda que um simples gesto pode fazer a diferença na vida do outro."

Natal, tempo de reflexão

Natal, Um momento no ano, sempre tão especial... Alguns ficam tristes, melancolicamente introspectivos.... Outros sentem uma euforia incontida. O Natal é assim mesmo...capaz de gerar tantos sentimentos e emoções, na maior parte das vezes,  tão conflitantes ou ambivalentes. E quando é possível refletir, por um simples minuto de silêncio interno, não fica difícil compreender essa inquietude nos corações. Basta lembrar a importância dessa data comemorativa e tudo que representa. Por isso, essa é uma data cheia de esperanças e que deve permitir a cada ser humano a reflexão sobre a própria vida, propiciando novas oportunidades, novos recomeços, e, principalmente o reconhecimento de que somos aprendizes. Se conseguirmos aprender sobre o amor, o carinho, o afeto , a caridade, a piedade e transmitir cada sentimento ao próximo, com certeza, estaremos seguindo os caminhos que Jesus sempre desejou. Desejo a todos os queridos amigos e seus familiares, um Natal maravilhoso. Um g

A difícil arte de amar e do desprendimento

Ela surgiu! Tão magra e doente. Vivia nas ruas, passando fome, frio e medo. Seu nome era “Marela”, chamada assim de forma cabocla, porque era loura como um bom alemão. Mas foi batizada BIA, tão logo chegara ao nosso convívio. No começo era assustada e nervosa. Comia desesperadamente ( pois já passara muita fome em tão pouco tempo de vida ). Mas Bia foi se acostumando com o tempo. Sabia que nesse lar teria seu alimento no momento certo, assim como água limpa e fresca. Sabia que não seria chutada ou mal tratada. Sabia que teria um cantinho quente e protegido do frio e da chuva. Bia engordou, ficou bonita e alegre. Arrumou um namorado e tiveram filhos. Passou a viver em família de iguais. Ela, seu namorado e seus três filhos. Uma família feliz! Que lindo ver como se amam e se respeitam. Que lindo ver os cuidados de Bia com seus filhos. Que lindo ver como todos são unidos. O tempo passou, os filhos cresceram. Bia e seu namorado envelheceram. Mas todos vivem juntos.

O que há de mais Sevagem....

Baseado e adaptado do livro de James Fenimore Cooper o filme “O Último dos Moicanos” é uma obra que retrata batalhas durante a guerra dos sete anos entre ingleses e franceses. Mais do que isso, é uma bela obra, que desperta Sentimentos . Trata da solidariedade e perseverança vivida por um grupo de pessoas de origens bastante diferentes durante o processo de formação dos Estados Unidos da América no século XVIII. Duas jovens precisam atravessar o território americano dominado pelos franceses, durante a Guerra dos Sete Anos. Para tanto, contam com a companhia de um oficial inglês, dois índios ( pai e filho ) e um homem “branco” criado por essa tribo. Esses dois índios moicanos são os últimos representantes de valorosa tribo e sua dignidade irá influenciar os rumos da trama. Caminhando por paisagens inóspitas, eles vão descobrir o que há de mais selvagem e mais civilizado nas próprias relações humanas . Desde a concepção e crescimento no útero materno, a vida trava batalhas e

Tornou-se utópico

Ontem recebi um telefonema. Era um amigo. Não era simplesmente um amigo. Era um amigo de minha infância....muito tempo. Estudamos juntos lá na época do "primário", hoje denominado ensino fundamental. Foi magnífico relembrar as peripécias de nossa infância e os amigos da época. E fulano onde está? você sabe de sicrano? e beltrano, o que anda fazendo? Como o tempo passa!!! Interessante as perspectivas que se tem da vida, de acordo com a idade que temos. Naquela época, quando tínhamos 7 ou 8 anos de idade, não havia qualquer tipo de preocupação, a não ser ir à escola e, nos momentos livres, brincar. Como é bom ser criança e brincar!! Depois você cresce e vai para a faculdade. Outras preocupações, outra fase. Como vai ser depois que me formar, onde vou trabalhar? Vou ser um bom profissional? O tempo passa!! Anos passam...e a rotina diária nem sempre te permite parar para refletir. O que você fez no último anos? - perguntei ao amigo de infância.