Castração

Você é o que pensa ser ou o que a sociedade determina que seja?

Seus sentimentos realmente lhe pertencem?


"Por vezes ou quase a todo instante o dilema.

Devo ser ou determinado serei.

Sendo “bonzinho”, amável e "bom tudo"

Seria eu mesmo?

Se não aceito determinações ou castrações,

Seria eu um pária?

E nesse conflito existencial

Deixo-me à mercê

De meus sentimentos."

Comentários

Tem um preço,né? E avaliamos esse custo o tempo todo. Gosto de ter comigo a ideia - nada sabia - de que Quebro mas não Vergo. E na maioria das vezes acabo sendo assim. Mas... ai, quem nunca fez uma concessão? Quem nunca se deparou com um inimigo maior e mais temido que a própria força e coragem que dispúnhamos naquele instante?

Bom, respirar fundo, afiar a faca e esperar a próxima volta do mundo. Não ousamos um dia. Mas não precisamos nos conformar, mediocremente, sempre.

Abraços
BLOGZOOM disse…
Eu só não fui eu mesma quando estava casada. Cada semana que passava, mais chateada ficava porque não conseguia me reconhecer. Existe muito deste comportamento dentro de familia muito complexas. O melhor é recomeçar, nem que se preciso for, mudar radicalmente.

Beijos
franciete disse…
Meu querido amigo sei quanto o seu tempo é precioso e importante, apenas venho deixar os meus beijinhos de luz e paz e dizer que em mim será sempre lembrado como um grande amigo...
Fleuret disse…
Há muito (nem tanto assim)deixei de ser aquela pessoa programada pra dizer sempre sim com um sorriso amarelo no rosto.

E como o José falou mais acima "tem preço", mas é um preço justo pelo que estamos adquirindo.

Agora se não quero é "não", se a casa vai cair por isso que caia, mas vai cair com o meu não.