Pular para o conteúdo principal

Ser irresoluto


"Ser apenas mais um

Entre tantos de si.

Ser apenas mais um

Entre tantos circundantes.



Eternamente irresoluto,

Ser o destoante ser!

Incongruentes desejos

De insânia inquietude.



Aturdido em consumismos,

Perde-se em devaneios:

Entre o essencial

E o querer



Ahh! Energúmeno ser

Embasbacado

Entre poder

E pudor."





"Sempre que tiveres dúvidas, ou quando o teu eu te pesar em excesso, experimenta o seguinte recurso: lembra-te do rosto do homem mais pobre e mais desamparado que alguma vez tenhas visto e pergunta-te se o passo que pretendes dar lhe vai ser de alguma utilidade. Poderá ganhar alguma coisa com isso? Fará com que recupere o controle da sua vida e do seu destino? Por outras palavras, conduzirá à autonomia espiritual e física dos milhões de pessoas que morrem de fome? Verás, então, como as tuas dúvidas e o teu eu se desvanecem."


Gandhi

Portinari - "criança morta"



Comentários

Teu blog é bom demais. Essa poesia e texto, fantásticos. Sábios, sinceros, honestos.

Não pode sumir assim, não amigo rsrs.

A coisa aqui tá preta. Posts de qualidade como tem no seu blog, contam-se nos dedos.

Abraços
Dani disse…
feliz pascoa querido!!!!!!!
Alma Aprendiz disse…
Oláaaaaa"
Seja bem vindo!
Quanto tempo heimmmmm???????////
Adorei esse texto e digo que todas essas afirmações só demonstram quanto ainda somos pequenos em nossos conceitos,quanto o EU fala mais alto.
Um grande beijo.
Jorge disse…
Poesia e mensagem que se completam mesmo. Busquemos sem autênticos, sermos a diferença para que o nosso Coração brilhe o que somos e tenhamos a consciência plena do que queremos. Buscar realizações com consciência é ir de encontro A Jesus, de coração livre.

meu querido amigo, que tenhas uma Páscoa de muita paz, amor e alegria! Com chocolate, naturalmente....

Abração
Dayse Sene disse…
Quando somos mais um, entre tantos de nós, é por que o tanto de nós, precisa de um tanto de uns, para assim, o nós ser apenas um e o um ser tantos nós.
Complicado, mas essencial.
Um e nós, se completam, nos fazendo ser ímpares em nossa essência individual, quando somos apenas um e par em convivência múltipla e fundamental, quando somos nós.
Gostei do seu blog, e te sigo com maior prazer.
Uma bela noite.
Abraços.
Jackie Freitas disse…
Olá querido Psiquismo!
Lindo poema, linda mensagem...
Você sabe que sou fã de suas postagens e espero poder estar sempre por aqui para alimentar meus sentimentos e emoções...
Parabéns, meu querido!
Grande beijo,
Jackie
franciete disse…
A amizade verdadeira pode aportar em muitos portos, mas um dia ela vem sempre ao local da partida, assim quando temos amigos do coração também eles por muito tempo passado sempre vem dar uma lufada de ar fresco na nossa vida.
Adoro ser sua amiga, e, sua amizade, seja sempre feliz com tudo o que o rodeia, beijinhos de luz em seu coração.

Postagens mais visitadas deste blog

Velhos Tempos

Tudo muda.... Houve um tempo em que se pedia “a benção” aos pais quando se acordava pela manhã ou se deitava para dormir, assim como antes de sair de casa. Hoje os filhos nem sabem o que significa pedir “a benção”, Afinal mal falam bom dia ou boa noite. E para sair de casa nem precisam falar aonde vão. Um filho, nesse tempo, referia-se aos pais ou pessoas mais velhas como “Sr” e “Sra”. Hoje os filhos se referem aos pais ou pessoas mais velhas como “Você”, Afinal nem sabem o significado de um pronome de tratamento respeitoso. Houve um tempo que não se falava enquanto adultos estivessem falando. Hoje os filhos falam enquanto os pais se obrigam a ficar quietos, Afinal nem sabem o que é ouvir. Os filhos, certamente, compreendiam o olhar recriminador de seus pais. Hoje se um pai lança um olhar recriminador ao filho, Passará despercebido ou ouvirá: “que cara feia é essa, velho?” Houve um tempo em que um filho pedia, por favor, ou “eu posso?” Hoje um filho não pede, por favor, e

Vivemos esperando

Novamente estamos nos aproximando de mais um final de ano. É impressionante como o tempo está passando rápido. Diria mesmo que está "voando". Essa constatação nos faz refletir sobre aquele velho dito popular: "Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje". Seja feliz, não espere que amanhã seja melhor. Torne hoje seu dia o melhor. Não perca tempo com situações estressantes. Não dê atenção àquilo que bloqueia sua felicidade. Não crie dificuldades para sua felicidade. Ser feliz é muito fácil, mais fácil ainda é impedir que aconteça. O tempo passa e você vai viver esperando o que? Dias melhores

Legado de miséria

D. Cacilda é uma senhorinha octogenária, muito frágil e humilde, mãe de nove filhos. Conseguiu, sob todas as dificuldades, torná-los homens e mulheres adultos. E com sua sabedoria ensinou-lhes as coisas certas da vida e o que é bom ou ruim. Seus filhos, todos casados, com suas ocupações e trabalhos, vivem correndo. D. Cacilda tem também muitos netos, talvez mais de 30, dentre os quais muitos já adultos e até casados. Mas, infelizmente, apesar dessa família tão numerosa de D.Cacilda, não escapa a senhorinha à solidão. D. Cacilda já se faz viúva há alguns anos e vive solitária em sua casinha, a relembrar de seus longos e passados anos ao lado de seu amado e companheiro marido. Sua modesta casa sempre foi o lar acolhedor para qualquer pessoa. E nunca houve quem ali não se sentisse confortado. Mas a vida tem seu ciclo. D.Cacilda, já tão frágil caiu doente, de cama, totalmente debilitada e dependente. Os anos pesaram em seus ombros já bastante arqueados. Mas que bom, ela tem tanto