De nossas questionáveis posses


Convenhamos, com lucidez, que ninguém é dono de nada, nem de ninguém. A posse de bens materiais é
temporária, fugaz. Da mesma forma a convivência com alguém querido também é muito passageira. Num instante, estamos separados por motivos de origem variada.
Aliás, cada um de nós terá que construir, individualmente, embora no aprendizado da convivência comum e coletiva, a própria segurança interior. A vida é sábia e coloca-nos neste patamar de aprendizado e aprimoramento. Mas não somos donos de nada. Tudo que julgamos possuir, na verdade, nos é cedido por um determinado tempo.
Esta visão abrangente deveria livrar-nos dos prejuízos decorrentes da paixão e do apego. Ambos costumam nos causar cegueira diante das situações. Mas face à fragilidade que todos carregamos, somada na maioria das vezes pela imaturidade emocional ou psicológica, e pela alta dose de egoísmo que ainda caracteriza o comportamento humano, vamos dando nossas “trombadas” que causam sofrimentos, a nós e outrem.
Referido sentimento, o egoísmo, ilude-nos a consciência. Passamos a nos sentir donos de bens materiais
e de pessoas, como se pudéssemos dominar alguém. É óbvio que, em muitas situações e circunstâncias, até exercemos algum domínio sobre pessoas. Mas isso será sempre ilusório e prejudicial, pois a liberdade é atributo inviolável de qualquer pessoa e, cedo ou tarde, toda imposição redundará em graves e severos prejuízos.

Comentários

*lua* disse…
Olá amigo!!!

Agradeço do fundo da alma suas palavras.

Meu apreço por ti e seu blog, advém da serenidade e sábias colocações que habitam no seu consciente.

És psiquiatra ... que maravilha ... parabéns ... está em uma área muito misteriosa e abrangente, que apenas alguns que buscam como ti as "entrelinhas" de nossa existência, podem se aproximar, porém sempre muito distante do desejável do inconsciente de todos nós.

beijos
Jorge disse…
Meu amigo

Somos ainda tão inconscientes que muita vez não percebemos o quanto estamos prejudicando. Pensando ser algo bom, mas na realidade algo que lesa.
Ainda acredito que, por estarmos principiando na nossa evolução (mais p´roximos do início do que do fim)os instintos falam mais alto. Somos apegados ao nosso ego e envolvemos as pessoas que amamos. Por isso dizemso que o sofrimento é o grande despertador da alma. final quem quer sofrer, não é mesmo? Mas é ele que acaba nos ajudando. Sabio o pensamento que diz que "quem não aprende com amor, aprende-se pela dor".

AMigo do infinito, um grande abraço,
Jorge
Amor disse…
seu blog é muito bom volto mais vezes se me permitir...