Pular para o conteúdo principal

Contornando Vicissitudes


"Quando estamos febris, tudo quanto provamos nos parece amargo e desagradável, mas, ao vermos outrem saborear as mesmas iguarias sem fazer cara feia, não mais culpamos a comida ou a bebida: culpamo-nos a nós mesmos e ao nosso destempero. De modo similar, desistimos de incriminar as circunstâncias e de com elas nos preocupar quando vemos outrem aceitando as mesmas circunstâncias plácida e alegremente. Quando as coisas não correm na medida dos nossos desejos, muito contribuirá para o nosso contentamento pensarmos nas coisas agradáveis e encantadoras que nos pertencem; na mistura, o melhor eclipsa o pior. Quando os nossos olhos são ofuscados pela claridade excessiva, nós acalmamo-los olhando para a verde relva e para as flores; todavia, mantemos a mente absorta com o que é penoso e forçamo-la a remoer sem trégua os vexames, desviando-a violentamente de pensamentos mais reconfortantes."  Plutarco

Comentários

Jorge disse…
Psiquismo amigo,

isso é caminhar para a outo-amor!!!
Confundem algumas pessoas do gostar de nós como egoismo.
Mas a vida nos mostra, inclusice pelas palavras do Plutarco, que necessitamos nos olhar para melhor olharmos o mundo

Meu grande amigao, valeu por mais este!!!

Um forte abraço,
Jorge
franciete disse…
Adoro você meu eterno amigo (Brasuca) é mimo assim como o Portuga, são amigos assim que eu jamais posso esquecer.
Amigo que dá seu conforto atravéz de uma tela amigo que reconforta e me levanta com as suas palavras, muito eu teria que me expressar para descrever tanta amizade de quem nem o rosto conheço.
Mas quando se tem a fé em Deus como eu tenho, também não sei qual a cara que Deus tem, e o amo de alma e coração.
Mas dele consigo ter os sinais e as pessoas lindas que ele põe em meu caminho.
Adoro você meu amigo.
franciete disse…
Adoro você meu eterno amigo (Brasuca) é mimo assim como o Portuga, são amigos assim que eu jamais posso esquecer.
Amigo que dá seu conforto atravéz de uma tela amigo que reconforta e me levanta com as suas palavras, muito eu teria que me expressar para descrever tanta amizade de quem nem o rosto conheço.
Mas quando se tem a fé em Deus como eu tenho, também não sei qual a cara que Deus tem, e o amo de alma e coração.
Mas dele consigo ter os sinais e as pessoas lindas que ele põe em meu caminho.
Adoro você meu amigo.
franciete disse…
A beleza das coisas está no espirito de quem as comtempla, e a amizade sincera está no coração de quem as respeita.
angel disse…
Quantos séculos se passaram desde Plutarco e ainda não conseguimos aprender coisas tão básicas.
Como você disse no comentário que me fez, às vezes para curar uma ferida é preciso raspá-la até o fundo e só assim ocorrerá uma cicatriz. Ainda que nos lembre a dor não doerá e isto é o mais importante.
Nunca li nada sobre Buda mas me espanto quando o faço, como no seu post anterior... meu pensamento, revelado em algumas escritas em muito se aproxima de seus preceitos.
Obrigada pelo carinho e pela "medicação". Vou mesmo fazer o que me sugeriu. Abraço enorme
Angel

Postagens mais visitadas deste blog

Velhos Tempos

Tudo muda.... Houve um tempo em que se pedia “a benção” aos pais quando se acordava pela manhã ou se deitava para dormir, assim como antes de sair de casa. Hoje os filhos nem sabem o que significa pedir “a benção”, Afinal mal falam bom dia ou boa noite. E para sair de casa nem precisam falar aonde vão. Um filho, nesse tempo, referia-se aos pais ou pessoas mais velhas como “Sr” e “Sra”. Hoje os filhos se referem aos pais ou pessoas mais velhas como “Você”, Afinal nem sabem o significado de um pronome de tratamento respeitoso. Houve um tempo que não se falava enquanto adultos estivessem falando. Hoje os filhos falam enquanto os pais se obrigam a ficar quietos, Afinal nem sabem o que é ouvir. Os filhos, certamente, compreendiam o olhar recriminador de seus pais. Hoje se um pai lança um olhar recriminador ao filho, Passará despercebido ou ouvirá: “que cara feia é essa, velho?” Houve um tempo em que um filho pedia, por favor, ou “eu posso?” Hoje um filho não pede, por favor, e

Vivemos esperando

Novamente estamos nos aproximando de mais um final de ano. É impressionante como o tempo está passando rápido. Diria mesmo que está "voando". Essa constatação nos faz refletir sobre aquele velho dito popular: "Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje". Seja feliz, não espere que amanhã seja melhor. Torne hoje seu dia o melhor. Não perca tempo com situações estressantes. Não dê atenção àquilo que bloqueia sua felicidade. Não crie dificuldades para sua felicidade. Ser feliz é muito fácil, mais fácil ainda é impedir que aconteça. O tempo passa e você vai viver esperando o que? Dias melhores

Legado de miséria

D. Cacilda é uma senhorinha octogenária, muito frágil e humilde, mãe de nove filhos. Conseguiu, sob todas as dificuldades, torná-los homens e mulheres adultos. E com sua sabedoria ensinou-lhes as coisas certas da vida e o que é bom ou ruim. Seus filhos, todos casados, com suas ocupações e trabalhos, vivem correndo. D. Cacilda tem também muitos netos, talvez mais de 30, dentre os quais muitos já adultos e até casados. Mas, infelizmente, apesar dessa família tão numerosa de D.Cacilda, não escapa a senhorinha à solidão. D. Cacilda já se faz viúva há alguns anos e vive solitária em sua casinha, a relembrar de seus longos e passados anos ao lado de seu amado e companheiro marido. Sua modesta casa sempre foi o lar acolhedor para qualquer pessoa. E nunca houve quem ali não se sentisse confortado. Mas a vida tem seu ciclo. D.Cacilda, já tão frágil caiu doente, de cama, totalmente debilitada e dependente. Os anos pesaram em seus ombros já bastante arqueados. Mas que bom, ela tem tanto