Vivendo mais


"Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional..."

Carlos Drummond de Andrade

Comentários

Jorge disse…
Grande amigo Psiquismo,

sempre me lembro desta ultima frase do Drummond.
Mas fora disso, creio que o que mais sofremos é que os outros são mais felizes e melhores que nós. Que os mais infelizes do mundo não são páreos para a nossa infelicidade. No final, o que mostramos é que somos orgulhosos e egoistas, temendo ser felizes porque, no fundo, não acreditamos que podemos sê-los.
O homem se complica porque acha o mundo ou a vida complicada. Culpa dos outros, naturalmente.
Mas, afinal, tudo volta pra nós, onde, então, vamos buscar galgar a nossa real posição que é a felicidade. E ela está em nós.

Grande amigo, uma ótima semana!!

Abrção,
Jorge
Maysha disse…
Ola meu amigo
Este texto é bastante reflexivo.
Ao contrário de sofrermos por tudo que não tivemos, deviamos sim valorizar tudo que conseguimos obter, todos os bons momentos com que a vida nos presentou, todas as emoções sentidas, as pequenas e grandes alegrias, as vitórias alcançadas.Se agissemos assim, seria tudo bem mais fácil, penso eu.

Desejo-te um bom domingo, beijos de luz
Isa
*lua* disse…
Para sermos felizes, basta nossa exigência de vida estar no limiar de nosso desejo carnal e busca incessante pela nossa espiritualidade. Por isso nunca uma felicidade distante, difícil entender o espírito quando podemos apalpar o corpo.
franciete disse…
Oi amigo passei para deixar de boa -noite o meu beijinho de luz e paz em seu coração
monidibb disse…
Olha que foto simbólica! Uma planta nascendo no meio das pedras!