Pular para o conteúdo principal

Martian Child




Você já teve a sensação de estar deslocado, de ser diferente, de não pertencer a lugar algum?

Provavelmente isso já deve ter acontecido em algum momento com você.
”Ensinando a viver” --é um filme baseado na novela The martian child, do escritor americano Jerrold David Friedman e fala exatamente sobre essa sensação, através do relacionamento entre um homem e seu filho adotivo – ambos com a sensação de se sentirem deslocados no mundo.
A história relata quando David (ator John Cusack) era criança e sempre se sentia excluído, discriminado, perseguido por outras crianças na escola, e sonhava com o dia em que ETs viriam resgatá-lo e levá-lo para casa, em outro planeta. Eles nunca vieram, David cresceu, tornou-se um escritor de sucesso e pai adotivo do problemático Dennis, que acredita ser um marciano em missão na Terra!
Este filme divertido e emocionante aborda questões como o poder redentor do amor e o real significado de família. Também fala positivamente da adoção de órfãos. O conceito principal do filme e a sua execução são muito bons: fala de dois seres humanos que se conectam.
Vale a pena assistir ao filme e observar as mensagens.

A coragem se ser feliz depende unica e exclusivamente de cada ser humano.

Comentários

Jorge disse…
Meu amigo

Desconheço este filme. Agora fiquei com vontade de assistí-lo.
Procurarei em DVD para assistir.

E gostei da última frase que vc escreveu.

Muito bom, amigão!!!

Jorge
Há pessoas que entram e saem das nossas vidas e que quase nem damos por elas, mas há outras que se passarem algum tempo mesmo curto que seja achamos logo uma grande falta.
A importância e a atenção a que elas é dedicada só Deus sabe porquê?
por muito que tentemos saber nunca descobrimos.
Beijinhos de luz em seu coração meu amigo de além mar
Maysha disse…
Ola, gostei muito do seu blog, com temas muito interessantes.
Não conheço este filme, mas fiquei com vontade de o ver, vou tentar encontrá-lo.
Fique bem, beijo
Flor da Hera disse…
Olá meu amigo
É uma honra tê-lo como seguidor do meu blog, obrigada.
Desejo-lhe uma boa noite, um beijo
Isa
Maysha disse…
Olá de novo meu amigo.
Obrigada pelos seus amáveis comentários.
No inicio do meu blog, tenho o selo "somos todos irmãos" que ofereço aos meus amigos.
Se o aceitar fico feliz, é uma bela maneira de iniciar uma amizade.
Seja feliz, beijo de luz
Isa
Vida*** disse…
Sim, nessa terra tdos somos irmãos!! Existem pessoas que entram em nossa vida por acaso...Mas não é por acaso que elas permanecem!! Não sabemos explicar!!Lembra-me esse filme:- Um sonho...que ao dize-lo nem precisaria...pois ele é real!! Em constante processo de aprendizado e transformação!! Abços de luz!!
Já assisti este filme e também recomendo! Mostra uma relação muito bacana sendo construída e também que devemos compreender as pessoas como elas são e agir no tempo certo de acordo com as necessidades de cada uma delas.

Abraços,

Fernando C. Salgado.
Norma Villares disse…
Sim a fraternidade tão falada, parece esquecida. Mas é bom respirar e agradecer eternamente.
É a eterna satisfação de um coração agradecido que trás felicidades.
Agradecer é água de Deus que jorrar sem cessar, mas necessitamos aprender a agradecer.
Grata pela visita e comentário
Abraços sublimes


Essa rosa de seu blog sempre me encanta.
franciete disse…
Amigo estou aqui para lhe dizer que tive de fechar o bolg. os meus lamentos porque estava a ter problemas com ele e passei a ter os lamentos de alma.
Ao qual dei o nome de franciete, beijinhos de luz em seu coração
PS: mas o meu nome é na mesma graciete...
franciete disse…
Obrigado meu querido amigo pelas doces palavras deixadas em meu blog.
Te quero muito viu? São amigos assim que nos fazem seguir em frente
beijinhos de luz

Postagens mais visitadas deste blog

Velhos Tempos

Tudo muda.... Houve um tempo em que se pedia “a benção” aos pais quando se acordava pela manhã ou se deitava para dormir, assim como antes de sair de casa. Hoje os filhos nem sabem o que significa pedir “a benção”, Afinal mal falam bom dia ou boa noite. E para sair de casa nem precisam falar aonde vão. Um filho, nesse tempo, referia-se aos pais ou pessoas mais velhas como “Sr” e “Sra”. Hoje os filhos se referem aos pais ou pessoas mais velhas como “Você”, Afinal nem sabem o significado de um pronome de tratamento respeitoso. Houve um tempo que não se falava enquanto adultos estivessem falando. Hoje os filhos falam enquanto os pais se obrigam a ficar quietos, Afinal nem sabem o que é ouvir. Os filhos, certamente, compreendiam o olhar recriminador de seus pais. Hoje se um pai lança um olhar recriminador ao filho, Passará despercebido ou ouvirá: “que cara feia é essa, velho?” Houve um tempo em que um filho pedia, por favor, ou “eu posso?” Hoje um filho não pede, por favor, e

Vivemos esperando

Novamente estamos nos aproximando de mais um final de ano. É impressionante como o tempo está passando rápido. Diria mesmo que está "voando". Essa constatação nos faz refletir sobre aquele velho dito popular: "Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje". Seja feliz, não espere que amanhã seja melhor. Torne hoje seu dia o melhor. Não perca tempo com situações estressantes. Não dê atenção àquilo que bloqueia sua felicidade. Não crie dificuldades para sua felicidade. Ser feliz é muito fácil, mais fácil ainda é impedir que aconteça. O tempo passa e você vai viver esperando o que? Dias melhores

Horizonte comodista

João trabalhava em uma empresa há muitos anos. Funcionário sério, dedicado, cumpridor de suas obrigações e, por isso mesmo, já com seus 20 anos de casa. Um belo dia, ele procura o dono da empresa para fazer uma reclamação: -- Patrão, tenho trabalhado durante estes 20 anos em sua empresa com toda a dedicação, só que me sinto um tanto injustiçado. O Juca,que está conosco há somente três anos, está ganhando mais do que eu. O patrão escutou atentamente e disse: -- João, foi muito bom você vir aqui. Antes de tocarmos nesse assunto, tenho um problema para resolver e gostaria da sua ajuda. Estou querendo dar frutas como sobremesa ao nosso pessoal após o almoço. Aqui na esquina tem uma quitanda. Por favor, vá até lá e verifique se eles têm abacaxi. João, meio sem jeito, saiu da sala e foi cumprir a missão. Em cinco minutos estava de volta. -- E aí, João? -- Verifiquei como o senhor mandou. O moço tem abacaxi. -- E quanto custa? -- Isso eu não pergunt