Pular para o conteúdo principal

Acreditar e Caminhar



Diz o mestre a seu discípulo:

- Quando você começar seu caminho, vai encontrar uma porta com uma frase escrita. Volte e me conte qual é esta frase.

O discípulo se entrega de corpo e alma à sua busca. Chega um dia em que vê a porta, e volta até o mestre.

- Estava escrito ISSO NÃO É POSSÍVEL, diz.
- Onde estava escrito isso? Num muro ou numa porta? - pergunta o mestre.
- Numa porta - responde o discípulo.
- Pois pegue a maçaneta e abra a porta.

O discípulo obedece e retorna à porta. Como a frase está pintada na porta, agora totalmente aberta, o discípulo já não consegue mais enxergá-la e segue adiante.

É hora de acreditar em nossos sonhos e começar nossa caminhada, pois quando atingirmos nossos objetivos nada mais será impossível!

Comentários

Já estava com saudade destas lições, pois para mim também já não é possivel vir aqui e deixar de ler estas preciosidades.
Beijos de luz em seu coração.
Jorge disse…
Muito bom este conto.
Realizar sonhos, atingir objetivos, significa alguém ser corajoso, paciente, confiante e vitorioso em si mesmo.

Um a abraço,
Jorge
Anônimo disse…
E como é bom sentir que onseguimos vencer mais um obstáculo!
Abraço
ÓI, meu querido estou preocupada,então o apagão deixou-o um pouco surpreso. Só hoje vi cá nas noticias.
Nós cá de vez em quando também andamos um pouco ás escuras, mas na volta até convém, que é para os nossos politicos se safarem melhor.
Beijinhos de luz para iluminar seu apagão
Julimar Murat disse…
Realmente é acreditar e caminhar. Não dá pra voltar, agora é seguir em frente.
E que Deus nos proteja

Um grande abraço

Julimar

Postagens mais visitadas deste blog

Velhos Tempos

Tudo muda.... Houve um tempo em que se pedia “a benção” aos pais quando se acordava pela manhã ou se deitava para dormir, assim como antes de sair de casa. Hoje os filhos nem sabem o que significa pedir “a benção”, Afinal mal falam bom dia ou boa noite. E para sair de casa nem precisam falar aonde vão. Um filho, nesse tempo, referia-se aos pais ou pessoas mais velhas como “Sr” e “Sra”. Hoje os filhos se referem aos pais ou pessoas mais velhas como “Você”, Afinal nem sabem o significado de um pronome de tratamento respeitoso. Houve um tempo que não se falava enquanto adultos estivessem falando. Hoje os filhos falam enquanto os pais se obrigam a ficar quietos, Afinal nem sabem o que é ouvir. Os filhos, certamente, compreendiam o olhar recriminador de seus pais. Hoje se um pai lança um olhar recriminador ao filho, Passará despercebido ou ouvirá: “que cara feia é essa, velho?” Houve um tempo em que um filho pedia, por favor, ou “eu posso?” Hoje um filho não pede, por favor, e

Vivemos esperando

Novamente estamos nos aproximando de mais um final de ano. É impressionante como o tempo está passando rápido. Diria mesmo que está "voando". Essa constatação nos faz refletir sobre aquele velho dito popular: "Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje". Seja feliz, não espere que amanhã seja melhor. Torne hoje seu dia o melhor. Não perca tempo com situações estressantes. Não dê atenção àquilo que bloqueia sua felicidade. Não crie dificuldades para sua felicidade. Ser feliz é muito fácil, mais fácil ainda é impedir que aconteça. O tempo passa e você vai viver esperando o que? Dias melhores

Legado de miséria

D. Cacilda é uma senhorinha octogenária, muito frágil e humilde, mãe de nove filhos. Conseguiu, sob todas as dificuldades, torná-los homens e mulheres adultos. E com sua sabedoria ensinou-lhes as coisas certas da vida e o que é bom ou ruim. Seus filhos, todos casados, com suas ocupações e trabalhos, vivem correndo. D. Cacilda tem também muitos netos, talvez mais de 30, dentre os quais muitos já adultos e até casados. Mas, infelizmente, apesar dessa família tão numerosa de D.Cacilda, não escapa a senhorinha à solidão. D. Cacilda já se faz viúva há alguns anos e vive solitária em sua casinha, a relembrar de seus longos e passados anos ao lado de seu amado e companheiro marido. Sua modesta casa sempre foi o lar acolhedor para qualquer pessoa. E nunca houve quem ali não se sentisse confortado. Mas a vida tem seu ciclo. D.Cacilda, já tão frágil caiu doente, de cama, totalmente debilitada e dependente. Os anos pesaram em seus ombros já bastante arqueados. Mas que bom, ela tem tanto