Meu avô já dizia....



Lembro-me, lá na minha infância, de meu avô paterno: "boca fechada não entra mosquito e não fala bobagem". Quem fala muito não ouve. As pessoas encontram uma dificuldade muito grande no silêncio. Parecem fugir de seus barulhos interiores. Basta observar duas pessoas em uma sala de espera. O silêncio torna-se algo constrangedor. Soa até como arrogância alheia, como algo ofensivo. Que se faz então? A opção mais óbvia: falar bobagens e futilidades. Começa, então, a disputa pelo ouvido alheio, afinal todo mundo quer ser ouvido.

Mas, o aprendizado do ouvir não se encontra na escola. Assim como, também, o que se pronuncia. 
Ouvir é muito bom. Oferece-nos oportunidades e aprendizagens incríveis. 

A vida tem que ser baseada em nossos 5 sentidos fundamentais, através dos quais conseguiremos aprender, filtrando o que nos faz evoluir como indivíduos. 




"Eu não procuro saber as respostas, procuro compreender as perguntas."
Confúcio

Comentários

Blog Dri Viaro disse…
Bom dia e boa semana!!
beijos
Anônimo disse…
O silêncio pode nos fazer ouvir nossos próprios pensamentos e nem sempre eles são bons. Talvez por isso se fala mais e se ouve menos, na tentativa de fugir de si mesmo.
O que é um mal!
Abraço
:) disse…
Interessante como vocês, brasileiros, conservam as expressões portuguesas mais antigas ainda melhor do que nós, portugueses. É bem verdade o que dizia o teu avô: "quem muito fala, pouco aprende".
Eu prezo-me de ser boa ouvinte, ou então as pessoas que me procuram para desabafar comigo, não devem de ter ninguém para o fazer. E são bastantes, mas confesso; por vezes tenho imensa necessidade de estar só, e sem falar nem ver ninguém.
Esta semana tirei quatro dias para me desligar do mundo exterior, desliguei a campainha da porta e os telefones e fiz um isolamento quase total.
Como me sinto aliviada da carga que já tinha em mim.
Beijos de luz em seu coração