Pular para o conteúdo principal

Sobre a espuma cinzenta do mar.....


"Sobre a superfície cinzenta do mar o vento reúne pesadas nuvens.
Semelhante a um raio negro,entre as nuvens e o mar,paira orgulhoso o albatroz,Mensageiro da tempestade.E ora são as asas tocando as ondas,ora é uma flecha rasgando as nuvens,Ele grita.
E as nuvens escutam a alegria no ousado grito do pássaro. Nesse grito – sede de tempestade! Nesse grito – as nuvens escutam a fúria, a chama da paixão, a confiança na Vitória. As gaivotas gemem diante da tempestade,gemem e lançam-se ao mar,para lá no fundo esconderem o pavor da tempestade.E os mergulhões também gemem. A eles, mergulhões,é inacessível a delícia da luta pela vida: O barulho do trovão os amedronta...O tolo pinguim, timidamente esconde seu corpo obeso entre as rochas...

Apenas o orgulhoso albatroz voa, ousado e livre sobre a espuma cinzenta do mar. Tonitroa o trovão. As ondas gemem na espuma da fúria. E discutem com o vento. Eis que o vento abraça uma porção de ondas com força e lança-as com maldade selvagem nas rochas, espalhando-as como a poeira, respingando uma noite de esmeraldas. O albatroz paira a gritar como um raio negro, rompendo as nuvens como uma flecha, levantando espuma com suas asas. Ei-lo voando rápido como um demónio;Orgulhoso e negro demónio da tempestade; Ri das nuvens, soluça de alegria! Ele – sensível demónio –Há muito vem escutando cansaço na fúria do trovão.Tem certeza de que as nuvens não escondem, Não, não escondem...Uiva o vento... Ribomba o trovão...Sobre o abismo do mar, um monte de nuvens pesadas brilham como centelhas. O mar pega as flechas de relâmpagos e as apaga em sua voragem.Parecem cobras de fogo. Os reflexos desses raios,rastejando sobre o mar e desaparecendo.
Tempestade!
Breve rebentará a tempestade! Esse corajoso albatroz paira altivo entre os raios e sobre o mar furiosamente urrando.

Então grita o profeta da Vitória:QUE MAIS FORTE ARREBENTE A TEMPESTADE!"

Aleksei Maksimovich Peshkov

Diante de quaisquer circunstâncias, faça como o albatroz. Ouse e deixe sua alma voar livremente. Não se deixe prender a medos e angústias, pois limitaria seus aprendizados.

Comentários

JUREMA disse…
Muito bom este texto ,nos encorajando a não nos prendermos em linhas de sentimentos que possam nos deixar alienados pela falta de entendimentos.
Somente o conhecimento é capaz de nos levar a voos mais altaneiros.
abraços fraternos
*lua* disse…
Olá meu amigo querido!!! Bom dia!

Será o Albatroz um alento e exemplo aos seres temeroso da água e ar ... será ele mostrando vencer o medo e pavor, gargalhando para ouvir seu próprio barulho e não da tempestade?

Um ótimo dia para ti e um beijão!
franciete disse…
Nas asas do albatroz
vou passando em temporal
para trazer meu beijinho
deste lindo Portugal.

Beijinhos de luz paz e muita alegria para você meu querido amigo.
Valdeir Almeida disse…
Essa mensagem tem tudo a ver com o meu momento.

Incentivou-me.

Obrigado, meu amigo.

Abraços e ótima quinta-feira.

Postagens mais visitadas deste blog

Velhos Tempos

Tudo muda.... Houve um tempo em que se pedia “a benção” aos pais quando se acordava pela manhã ou se deitava para dormir, assim como antes de sair de casa. Hoje os filhos nem sabem o que significa pedir “a benção”, Afinal mal falam bom dia ou boa noite. E para sair de casa nem precisam falar aonde vão. Um filho, nesse tempo, referia-se aos pais ou pessoas mais velhas como “Sr” e “Sra”. Hoje os filhos se referem aos pais ou pessoas mais velhas como “Você”, Afinal nem sabem o significado de um pronome de tratamento respeitoso. Houve um tempo que não se falava enquanto adultos estivessem falando. Hoje os filhos falam enquanto os pais se obrigam a ficar quietos, Afinal nem sabem o que é ouvir. Os filhos, certamente, compreendiam o olhar recriminador de seus pais. Hoje se um pai lança um olhar recriminador ao filho, Passará despercebido ou ouvirá: “que cara feia é essa, velho?” Houve um tempo em que um filho pedia, por favor, ou “eu posso?” Hoje um filho não pede, por favor, e

Vivemos esperando

Novamente estamos nos aproximando de mais um final de ano. É impressionante como o tempo está passando rápido. Diria mesmo que está "voando". Essa constatação nos faz refletir sobre aquele velho dito popular: "Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje". Seja feliz, não espere que amanhã seja melhor. Torne hoje seu dia o melhor. Não perca tempo com situações estressantes. Não dê atenção àquilo que bloqueia sua felicidade. Não crie dificuldades para sua felicidade. Ser feliz é muito fácil, mais fácil ainda é impedir que aconteça. O tempo passa e você vai viver esperando o que? Dias melhores

Horizonte comodista

João trabalhava em uma empresa há muitos anos. Funcionário sério, dedicado, cumpridor de suas obrigações e, por isso mesmo, já com seus 20 anos de casa. Um belo dia, ele procura o dono da empresa para fazer uma reclamação: -- Patrão, tenho trabalhado durante estes 20 anos em sua empresa com toda a dedicação, só que me sinto um tanto injustiçado. O Juca,que está conosco há somente três anos, está ganhando mais do que eu. O patrão escutou atentamente e disse: -- João, foi muito bom você vir aqui. Antes de tocarmos nesse assunto, tenho um problema para resolver e gostaria da sua ajuda. Estou querendo dar frutas como sobremesa ao nosso pessoal após o almoço. Aqui na esquina tem uma quitanda. Por favor, vá até lá e verifique se eles têm abacaxi. João, meio sem jeito, saiu da sala e foi cumprir a missão. Em cinco minutos estava de volta. -- E aí, João? -- Verifiquei como o senhor mandou. O moço tem abacaxi. -- E quanto custa? -- Isso eu não pergunt