Pular para o conteúdo principal

Liberdades de escolha - A consciência nem deveria ter data marcada


"Realmente, se um dia de fato se descobrisse uma fórmula para todos os nossos desejos e caprichos - isto é, uma explicação do que é que eles dependem, por que leis se regem, como se desenvolvem, a que é que eles ambicionam num caso e noutro e por aí fora, isto é uma fórmula matemática exata - então, muito provavelmente, o homem deixaria imediatamente de sentir desejo. Pois quem aceitaria escolher por regras?
Além disso, o ser humano seria imediatamente transformado numa peça de um orgão ou algo do gênero;


O que é um homem sem desejos, sem liberdade de desejo e de escolha, senão uma peça num orgão?"
 
Fiodor Dostoievski -- "Cadernos do Subterrâneo"




"O homem nasceu livre e por toda parte vive acorrentado"

J J Rosseau

Comentários

Mad Resgate disse…
Ola
Seu texto direcionada a pensamentos que até então muitos o desconhecem
Somos de fato apenas peças manipuladas, que sem nenhuma expectativa encontraremos a porta de saída para um mundo tão desigual.
Poucas palavras, mas que possuem a verdadeira transmição da mensagem poética
O vídeo é perfeito para ilustrar o texto
Parabens
Um forte abraço
Mad
Caro amigo.

Sábias palavras.
Penso que nos dias
de hoje,
nossa maior tragédia
é abrir mão desta liberdade,
e nos aprisionarmos
a sonhos que não são nossos,
que tiram de nós a capacidade
simples de ser e se sentir feliz.


Sua amizade é preciosa
para mim.
Jorge (Nectan) disse…
PD
tem um desafio no meu blog Boa Nova prá você.
Espero que possa aceitar.

Abraços!!!
Insana disse…
Linda postagem.

bjs
Insana
franciete disse…
Meu querido amigo passei só para lhe dizer que minha admiração por este cantinho e muito verdadeira. tenha um lindo amanhecer com muita paz em sua vida.
Amigos leais são para toda a vida, beijinhos de luz e paz.
franciete disse…
Oi meu querido amigo estou passando agora que já é escurinho aqui para deixar o meu beijinho de luz e muita paz.
*lua* disse…
Meu querido PD, obrigada por me dirigir palavras tão carinhosas e acalentadoras, e que me são tão urgentes. Passando rápido para deixar meu abraço forte e dizer que a liberdade apenas será alcançada quando soubermos tirar as amarras que nós próprios colocamos num passado e ainda hoje insistimos em ficarmos presos.

Beijo grande!

Postagens mais visitadas deste blog

Velhos Tempos

Tudo muda.... Houve um tempo em que se pedia “a benção” aos pais quando se acordava pela manhã ou se deitava para dormir, assim como antes de sair de casa. Hoje os filhos nem sabem o que significa pedir “a benção”, Afinal mal falam bom dia ou boa noite. E para sair de casa nem precisam falar aonde vão. Um filho, nesse tempo, referia-se aos pais ou pessoas mais velhas como “Sr” e “Sra”. Hoje os filhos se referem aos pais ou pessoas mais velhas como “Você”, Afinal nem sabem o significado de um pronome de tratamento respeitoso. Houve um tempo que não se falava enquanto adultos estivessem falando. Hoje os filhos falam enquanto os pais se obrigam a ficar quietos, Afinal nem sabem o que é ouvir. Os filhos, certamente, compreendiam o olhar recriminador de seus pais. Hoje se um pai lança um olhar recriminador ao filho, Passará despercebido ou ouvirá: “que cara feia é essa, velho?” Houve um tempo em que um filho pedia, por favor, ou “eu posso?” Hoje um filho não pede, por favor, e

Vivemos esperando

Novamente estamos nos aproximando de mais um final de ano. É impressionante como o tempo está passando rápido. Diria mesmo que está "voando". Essa constatação nos faz refletir sobre aquele velho dito popular: "Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje". Seja feliz, não espere que amanhã seja melhor. Torne hoje seu dia o melhor. Não perca tempo com situações estressantes. Não dê atenção àquilo que bloqueia sua felicidade. Não crie dificuldades para sua felicidade. Ser feliz é muito fácil, mais fácil ainda é impedir que aconteça. O tempo passa e você vai viver esperando o que? Dias melhores

Legado de miséria

D. Cacilda é uma senhorinha octogenária, muito frágil e humilde, mãe de nove filhos. Conseguiu, sob todas as dificuldades, torná-los homens e mulheres adultos. E com sua sabedoria ensinou-lhes as coisas certas da vida e o que é bom ou ruim. Seus filhos, todos casados, com suas ocupações e trabalhos, vivem correndo. D. Cacilda tem também muitos netos, talvez mais de 30, dentre os quais muitos já adultos e até casados. Mas, infelizmente, apesar dessa família tão numerosa de D.Cacilda, não escapa a senhorinha à solidão. D. Cacilda já se faz viúva há alguns anos e vive solitária em sua casinha, a relembrar de seus longos e passados anos ao lado de seu amado e companheiro marido. Sua modesta casa sempre foi o lar acolhedor para qualquer pessoa. E nunca houve quem ali não se sentisse confortado. Mas a vida tem seu ciclo. D.Cacilda, já tão frágil caiu doente, de cama, totalmente debilitada e dependente. Os anos pesaram em seus ombros já bastante arqueados. Mas que bom, ela tem tanto