Pular para o conteúdo principal

A escolha é individual


Viver ou existir - qual a sua opção?

"Errei mais de 9.000 cestas e perdi quase 300 jogos. Em 26 diferentes finais de partidas fui encarregado de jogar a bola que venceria o jogo... e falhei. Eu tenho uma história repleta de falhas e fracassos em minha vida. E é exatamente por isso que sou um sucesso." Michael Jordan, maior jogador de basquete de todos os tempos.
Erros e fracassos fazem parte da construção do sucesso.
Conversando, trocando idéias com diversas pessoas de sucesso nas suas respectivas áreas, descobri que a única coisa que existe em comum entre essas pessoas é que todas possuem histórias de grandes erros e fracassos em suas trajetórias.
Acomodação não é compatível com sucesso e, segundo Albert Einstein: "quem nunca cometeu um erro, nunca tentou algo novo".
Todas as pessoas bem sucedidas, quer esportistas, empresários, banqueiros, industriais, sem qualquer exceção, já sentiram o amargo gosto de uma derrota.
Até em nossa vida amorosa sofremos derrotas, ou será que você nunca tomou “um fora”?
Aprender com as derrotas, erros, reconhecendo, assumindo e entendendo ela se reverte em parte do caminho da vitória, do sucesso.
Para você, conformado, vai aí outra história de fracassos e derrotas que viraram vitórias e sucesso:
Cafú, único jogador do mundo a disputar três finais consecutivas de Copa do Mundo, tornando-se bicampeão mundial e um dos jogadores mais vencedores no mundo do futebol, foi rejeitado em doze "peneiras" antes de entrar para as categorias de base do São Paulo Futebol Clube, o mesmo São Paulo que já o tinha dispensado em quatro oportunidades anteriores.
O que você acha de substituir a história de Cafú pela seguinte frase: “Nenhuma derrota, derrota quem nasceu para vencer!”
Ei você! Você mesmo que esta lendo, será que você não nasceu para a vitória?
Erros e acertos, derrotas e vitórias, fracassos e sucessos só fazem parte da vida dos que tentam, arriscam, expõem-se e buscam a realização de seus sonhos, de maneira apaixonada, corajosa, planejada e sem medo de ser feliz.
Ou você também vai formar fila com aqueles infelizes que não conhecem vitórias nem derrotas?
É impossível não escolher caminhos equivocados algumas vezes."Vivendo e aprendendo a jogar, nem sempre ganhando, nem sempre perdendo, mas aprendendo a jogar..."
Parece até uma música de sucesso, errar faz parte do aprendizado da vida. Porém, o erro dever vir acompanhado da responsabilidade e do aprendizado.
GANHA O JOGO da vida e dos negócios quem acerta mais, apesar de ter errado muito.
Errando, seja inteligente para admitir que errou, humilde para assumir a responsabilidade, esperto para consertar o resultado e sábio para incorporar o aprendizado. Errar é próprio do homem, mas perseverar no erro é coisa dos tolos.
Também temos a oportunidade de aprender com os erros dos outros, não podemos cometer esses mesmos erros, temos tantas opções de escolhas para erros novos, você não acha?
Convoco todos a tentarem realizar feitos grandiosos em suas vidas, pessoais ou profissionais.
Ou você esta com medo de errar e prefere ficar sempre “espiando atrás da porta”?
Acredite: fazer e errar é experiência, enquanto não fazer ou não tentar é que é o verdadeiro fracasso.
A liberdade de errar é vital se você quer ser bem sucedido. Erre, erre e erre novamente, mas cada vez menos, menos e menos e em situações diferentes.
Faça um balanço da sua vida!
Dia desses fiz da minha, e descobri que é melhor “1 minuto de vermelho” do que “uma vida de amarelo”.
E você vai amarelar?
Já sei! Você se acomodou, a situação e posição esta confortável e estável, por que então vou mudar, mesmo que esta estabilidade seja infeliz, estressante e enfadonha! Seu “café com leite”! Esta na hora de “sair de trás da porta”!
Ouse, construa a realização dos seus sonhos, pague o preço que for preciso, arrisque, somos do tamanho dos nossos sonhos.
Saiba que nem todo trabalho terminará com sucesso, nem todo relacionamento resistirá às diferenças, nem todo amor durará eternamente, nem todo esforço será completo, nem todo sonho será realizado, mas temos o dever e o direito de errar para acertar, perder para ganhar, cair para levantar!
Enfim, de fracassar para ter sucesso!
“Viver intensamente é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe!”
Será que você vive ou existe?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Velhos Tempos

Tudo muda.... Houve um tempo em que se pedia “a benção” aos pais quando se acordava pela manhã ou se deitava para dormir, assim como antes de sair de casa. Hoje os filhos nem sabem o que significa pedir “a benção”, Afinal mal falam bom dia ou boa noite. E para sair de casa nem precisam falar aonde vão. Um filho, nesse tempo, referia-se aos pais ou pessoas mais velhas como “Sr” e “Sra”. Hoje os filhos se referem aos pais ou pessoas mais velhas como “Você”, Afinal nem sabem o significado de um pronome de tratamento respeitoso. Houve um tempo que não se falava enquanto adultos estivessem falando. Hoje os filhos falam enquanto os pais se obrigam a ficar quietos, Afinal nem sabem o que é ouvir. Os filhos, certamente, compreendiam o olhar recriminador de seus pais. Hoje se um pai lança um olhar recriminador ao filho, Passará despercebido ou ouvirá: “que cara feia é essa, velho?” Houve um tempo em que um filho pedia, por favor, ou “eu posso?” Hoje um filho não pede, por favor, e

Vivemos esperando

Novamente estamos nos aproximando de mais um final de ano. É impressionante como o tempo está passando rápido. Diria mesmo que está "voando". Essa constatação nos faz refletir sobre aquele velho dito popular: "Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje". Seja feliz, não espere que amanhã seja melhor. Torne hoje seu dia o melhor. Não perca tempo com situações estressantes. Não dê atenção àquilo que bloqueia sua felicidade. Não crie dificuldades para sua felicidade. Ser feliz é muito fácil, mais fácil ainda é impedir que aconteça. O tempo passa e você vai viver esperando o que? Dias melhores

Legado de miséria

D. Cacilda é uma senhorinha octogenária, muito frágil e humilde, mãe de nove filhos. Conseguiu, sob todas as dificuldades, torná-los homens e mulheres adultos. E com sua sabedoria ensinou-lhes as coisas certas da vida e o que é bom ou ruim. Seus filhos, todos casados, com suas ocupações e trabalhos, vivem correndo. D. Cacilda tem também muitos netos, talvez mais de 30, dentre os quais muitos já adultos e até casados. Mas, infelizmente, apesar dessa família tão numerosa de D.Cacilda, não escapa a senhorinha à solidão. D. Cacilda já se faz viúva há alguns anos e vive solitária em sua casinha, a relembrar de seus longos e passados anos ao lado de seu amado e companheiro marido. Sua modesta casa sempre foi o lar acolhedor para qualquer pessoa. E nunca houve quem ali não se sentisse confortado. Mas a vida tem seu ciclo. D.Cacilda, já tão frágil caiu doente, de cama, totalmente debilitada e dependente. Os anos pesaram em seus ombros já bastante arqueados. Mas que bom, ela tem tanto