Pular para o conteúdo principal

Crescimento espiritual


 Escolhemos vir a este planeta para aprender, trabalhar em nosso crescimento espiritual e expandir nossa capacidade de amar. 

Todos temos a oportunidade de aprender, para que possamos evoluir espiritualmente. As atitudes e os caminhos que escolhemos fazem parte desse aprendizado. Cada gesto, palavra ou mão estendida significa amor semeado.

Comentários

Glenda Dias disse…
O Amor como guia espiritual.
Amor a si,
Amor ao outro,
Amor ao universo...
Tudo é uma coisa só: Amor gerando amor.

Abraços
*lua* disse…
Amigo ... é um entendimento tão sublime que parece tão irreal para o mundo que escolhemos viver ... estamos caminhando a passos lentos, tão lentos que sempre estamos olhando nosso ponto de partida e querendo voltar.

Um beijo e ótimo final de semana!
Rose disse…
Olá Boa tarde!

É verdade... a vida é verdadeiramente uma grande escola para nossa evolução... portanto devemos ser bons alunos.
Muito bom! Um grande abraço e tenha um ótimo final de semana!
Lucimara Souza disse…
Excelente!
Obrigada também pela visita em meu espaço...
www.textos-e-reflexoes.blotspot.com
Abraços da Lu
Anônimo disse…
Te indiquei para o Sunshine Awards no diHITT.

REGRAS PARA ACEITAÇÃO DO PRÊMIO:

* Colar a logo do prêmio no seu blog ou em um post
* Repassar o prêmio para outros 12 bloggers
* Incluir o link dos indicados no post
* Informar os indicados sobre o prêmio, deixando comentários em seus blogs
* Compartilhar o link com a pessoa que lhe enviou o prêmio
Lucimara Souza disse…
Hum?!
rs
Pode sim me chamar de Lu. Sinto-me mais próxima...
bjs e muitíssimo obrigada pela visita!
Anônimo disse…
Boa Noite.´
foi muito bom vir aqui e conhecer teu blog.
Simpático, espiritual e elevado.
Meu abraço fraterno, quando quiser aparecer, seja bem vindo.
ValériaC disse…
Olá amigo...seguimos algumas pessoas em comum, então, resolvi te conhecer e gostei muito do seu blog. Estarei te acompanhando de uma maneira mais próxima.
Excelente o que você escreveu e acima de tudo, verdadeiro.
É preciso valorizar todas as oportunidades que a vida nos traz, e crescermos sempre, semeando Paz, serenidade, Luz, Vida e Amor...dentro de nós e por onde quer que a gente vá. Até porque, não devemos esquecer que tudo o que semeamos, colhemos de volta.
Tenha um bom final de semana!
Um abraço

Valéria
franciete disse…
Meu querido amigo, a amizade que dedicamos uns aos outros, e o saber respeitar está na base do nosso crescimento. É o legado que deixamos no fim de cada jornada, pena é, que ainda haja muitos de nós, que apenas consegue ver só o seu bem estar, e deixar que cada um encontre as dificuldades todas sem que lhes estendam a mão.
Ajudar ao próximo também faz parte do crescimento, beijinhos de luz e paz
plantando-se bondade, amor, solidariedade, colheremos bons frutos futuramente.
Abraços forte
Jorge disse…
Grande amigo,

é verdade. A cada momento, novas oportunidades de aprender. E só com Amor vamos iluminar a nossa vida.

Um super abraço, Amigo Iluminado!!!
Maysha disse…
Ola amigo.
Na verdade estamos aqui para aprender a evoluir, a caminhada por vezes não é facil, mas com amor e devoção, acima de tudo com muita paz, respeito pelo próximo, pela natureza, pelos animais, chegaremos ao lugar que tentamos alcançar.

Um bom fim de semana, beijo de luz
*lua* disse…
Olá querido, Bom dia!

Passei para agradecer seu comentário, esse sim muito rico. Esse texto me trouxe algumas leituras referente aos comentários feitos e principalmente aos não comentários ... o ser humano é realmente um ser muito profundo, ambíguo e em constante transformação, sou muito observadora por isso me encanto com esse mundo todo. Então aqui fica meu parabéns a ti, por se dedicar a essa máquina gigante composta de cérebro e coração dentro dos homens.

abraços!
Anônimo disse…
Concordo plenamente! Quanta sabedoria nestas palavras.
Boa semana, querida!
Beijos na alma!

Postagens mais visitadas deste blog

Velhos Tempos

Tudo muda.... Houve um tempo em que se pedia “a benção” aos pais quando se acordava pela manhã ou se deitava para dormir, assim como antes de sair de casa. Hoje os filhos nem sabem o que significa pedir “a benção”, Afinal mal falam bom dia ou boa noite. E para sair de casa nem precisam falar aonde vão. Um filho, nesse tempo, referia-se aos pais ou pessoas mais velhas como “Sr” e “Sra”. Hoje os filhos se referem aos pais ou pessoas mais velhas como “Você”, Afinal nem sabem o significado de um pronome de tratamento respeitoso. Houve um tempo que não se falava enquanto adultos estivessem falando. Hoje os filhos falam enquanto os pais se obrigam a ficar quietos, Afinal nem sabem o que é ouvir. Os filhos, certamente, compreendiam o olhar recriminador de seus pais. Hoje se um pai lança um olhar recriminador ao filho, Passará despercebido ou ouvirá: “que cara feia é essa, velho?” Houve um tempo em que um filho pedia, por favor, ou “eu posso?” Hoje um filho não pede, por favor, e

Vivemos esperando

Novamente estamos nos aproximando de mais um final de ano. É impressionante como o tempo está passando rápido. Diria mesmo que está "voando". Essa constatação nos faz refletir sobre aquele velho dito popular: "Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje". Seja feliz, não espere que amanhã seja melhor. Torne hoje seu dia o melhor. Não perca tempo com situações estressantes. Não dê atenção àquilo que bloqueia sua felicidade. Não crie dificuldades para sua felicidade. Ser feliz é muito fácil, mais fácil ainda é impedir que aconteça. O tempo passa e você vai viver esperando o que? Dias melhores

Legado de miséria

D. Cacilda é uma senhorinha octogenária, muito frágil e humilde, mãe de nove filhos. Conseguiu, sob todas as dificuldades, torná-los homens e mulheres adultos. E com sua sabedoria ensinou-lhes as coisas certas da vida e o que é bom ou ruim. Seus filhos, todos casados, com suas ocupações e trabalhos, vivem correndo. D. Cacilda tem também muitos netos, talvez mais de 30, dentre os quais muitos já adultos e até casados. Mas, infelizmente, apesar dessa família tão numerosa de D.Cacilda, não escapa a senhorinha à solidão. D. Cacilda já se faz viúva há alguns anos e vive solitária em sua casinha, a relembrar de seus longos e passados anos ao lado de seu amado e companheiro marido. Sua modesta casa sempre foi o lar acolhedor para qualquer pessoa. E nunca houve quem ali não se sentisse confortado. Mas a vida tem seu ciclo. D.Cacilda, já tão frágil caiu doente, de cama, totalmente debilitada e dependente. Os anos pesaram em seus ombros já bastante arqueados. Mas que bom, ela tem tanto