Rompimento dos limites

O  "louco" é visto em nossa sociedade como "o diferente", aquele que está fora de contexto, à margem, não enquadrado nos comportamentos e pensamentos "ditados" pelos dogmas sociais.
A loucura permite ao indivíduo o rompimento dos limites do convencional e, assim, enunciar e proferir sentenças que, descartadas como insanas numa primeira avaliação, guardam em sua ambigüidade as possibilidades do questionamento, da dúvida e da incerteza.




“Enquanto você se esforça para ser...... um sujeito normal
E fazer tudo igual 
Eu do meu lado aprendendo a ser louco 
Maluco total 
Na loucura real  
Controlando a minha maluquez.......Misturada com minha lucidez.”


"E, ainda assim, 
Dentro de seu mundo
Assustado, escondido
O louco se permite sonhar.

Dentro de seu mundo 
Delirante, alucinado
Totalmente desregrado
Permite-se ser" 
Stuka Angyali

Comentários

Anônimo disse…
Excelente escolha!
angela disse…
Que mundo chato e pouco ciativo seria o nosso sem a turbulência que eles provocam e criam.
beijos
*lua* disse…
É amigo ...

Vivemos numa sociedade que pouco importa o individualismo, magia, dom, sensibilidade, pensamentos, de cada um de nós. Somos forçados a pertencer sempre a padrões, como se fóssemos cópias. Veja na escola, temos que adequar nosso "eu-sou-tenho-posso" a escola e nunca o contrário, haja visto docentes, magistrados, com conhcimento suficiente para pesquisa de nossos "eus".

um beijo grande
Jorge disse…
Grande PD

Ser transparente, ser autêntico é ser considerado louco pois foge do padrão do mundo. Por isso, acredito, o homem tem medo de ser ele mesmo.
Mas, para mudar o mundo, se faz necessário sermos nós mesmos.

Amigão, um grande abraço!!!
Insana disse…
Gosto de mitologia..
Ameis suas palavras

Bjs
Insana