Pular para o conteúdo principal

Centros Energéticos

CHACRAS




Os centros enérgicos da saúde plena: física, mental, emocional e espiritual




A palavra chacra, do sânscrito, significa roda e evoca o caráter dinâmico desses centros magnéticos, que, segundo o hinduísmo, captam, armazenam e distribuem a energia. Relacionados a órgãos e glândulas, eles têm importância decisiva para a nossa vida mental e espiritual, influenciam nossas emoções e são influenciados por elas. Atuam,então,diretamente sobre a nossa disposição e alegria de viver. Os sete principais estão localizados entre a base da coluna e o topo da cabeça, em áreas de confluência de mais de 70 mil nadis - rios de energia (comparáveis aos meridianos da medicina chinesa). Quando seu fluxo é bloqueado, surgem as doenças. "Aí, não apenas a saúde física fica comprometida como também todo o nosso desenvolvimento, pois na tradição indiana, berço desse conhecimento, matéria e espírito são inseparáveis". E o que pode bloquear os chacras? "A má qualidade do ar ou da alimentação,o sedentarismo e os tumultos internos são verdadeiros ladrões de energia". Os mestres hindus receitam ioga e meditação contra o desequilíbrio, mas é possível ativar os chacras com atividades físicas, atitudes adequadas no dia-a-dia e terapias específicas, que envolvem mantras (cânticos devocionais) ou mentalização de cores. Não faz sentido, por exemplo, achar que problemas cardíacos podem ser resolvidos apenas com meditações que ativam o chacra dessa região. Para nos abastecer, os chacras captam a força vital (prana) e espiritual (kundalini). Na verdade, trata-se da mesma energia, que se manifesta de modos diferentes e é obtida por meio do ar, luz solar, água, alimentação e pelo desenvolvimento da consciência. Os pranayamas, exercícios respiratórios da ioga, purificam nossos canais, favorecem a absorção dos nutrientes e o despertar da kundalini. Segundo a tradição tântrica, essa força mora dentro de nós, mas em estado latente.Adormecida no primeiro chacra, ela deve ser conduzida até o sétimo, integrando as polaridades feminina e masculina, representadas respectivamente pela deusa Shakti, considerada a mãe de todas as formas, e o deus Shiva, portador da consciência plena. "Poderemos dar um salto quando conseguirmos desenvolver o chacra cardíaco, aprendendo mais sobre o amor incondicional." A seguir, apresentam-se as características de cada chacra, de acordo com O LIVRO BÁSICO DOS CHACRAS (ED. PENSAMENTO), de Naomi Ozaniec, e TERAPIA DO AMOR (ED. SEMENTE), de Rahasya Fritjof Kraft. Para facilitar a ilustração, vejamos os chacras na região frontal, mas lembre-se: eles também operam nas partes posteriores.
Em sânscrito muladhara, de nmula, que significa raiz, e adhara, base. LOCALIZAÇÃO: Região do períneo, entre o ânus e os órgãos genitais.
COR: Vermelho.
ELEMENTO: Terra.
GLÂNDULAS: Supra-renais.
FUNÇÃO: Sobrevivência.
DISFUNÇÕES: Fraqueza, doenças ósseas ou hemorróidas; dificuldade para lidar com a raiva e frustração. TEMAS: Associado à vitalidade e à nossa ligação com a terra, ele rege as funções do intestino grosso, os ossos, as pernas, pés e tudo o que nos mantém firmes no chão. A habilidade (ou incapacidade) de gerir o plano material, como cuidar do corpo, ganhar dinheiro e dar forma aos projetos, tem a ver com esse centro, que influencia a vida sexual na sua vertente mais instintiva.
COMO ATIVAR: Caminhar descalço, dançar e pular com batidas rítmicas no chão, tomar atitudes em relação às questões materiais da existência.
PARA REFLETIR: O que pode estruturar ou desestruturar você?

Svadisthana, que significa morada.
LOCALIZAÇÃO: Região do baixo-ventre.
COR: Laranja.
ELEMENTO Água.
GLÂNDULAS: Ovários e testículos.
FUNÇÕES: Prazer, procriação, criatividade.
DISFUNÇÕES: Dependência emocional, luxúria, frigidez, bloqueio criativo, problemas nos rins, nos sistemas reprodutor e circulatório.
TEMAS: A polaridade amor e ódio, os sentimentos de vergonha e culpa, as fantasias sexuais e as dores emocionais profundas (ligadas à maternidade e às traições) são questões desse chacra, que governa os líquidos corporais, como o sangue, a menstruação, o esperma e as lágrimas. Tanto o prazer do orgasmo quanto o risco de confundir-se com o parceiro mexem com a energia desse centro, bem como a saúde dos órgãos envolvidos na concepção.
COMO ATIVAR: Atividades aquáticas, danças de ritmo sensual.
PARA REFLETIR: Descubra a relação entre sexualidade e espiritualidade.

Manipura, que significa gema ou jóia reluzente.
LOCALIZAÇÃO: Acima do umbigo, na região do estômago.
COR: Amarelo-ouro.
ELEMENTO: Fogo.
GLÂNDULA: Pâncreas.
FUNÇÕES: Digestão, fortalecimento da vontade.
DISFUNÇÕES: Distúrbios alimentares, diabetes, mania de julgar ou controlar os outros, egocentrismo.
TEMAS: As questões de carisma e autoridade são o desafio desse ponto, ligado ao metabolismo dos alimentos e das emoções. Despertar a consciência para as emoções envolvidas nos jogos de poder (como a fúria ou o medo da perda) é a chave para transmutá-las. Nessa esfera, aprendemos a nos defender dos abusos e a obter autodomínio - nunca pela negação dos sentimentos, mas pela habilidade de lidar com eles.
COMO ATIVAR: Exercícios de flexão de coluna (na ioga, a postura da pinça e a saudação ao sol).
PARA REFLETIR: Identifique os aspectos luminosos e sombrios no seu modo de exercer o poder.

Anahata, que significa intocado ou inaudível.
LOCALIZAÇÃO: Centro do peito.
COR: Verde.
ELEMENTO: Ar.
GLÂNDULA: Timo.
FUNÇÕES: Estimular a imunidade e o bom funcionamento do coração e dos pulmões, desenvolver a capacidade de amar, perdoar e sentir compaixão.
DISFUNÇÕES: Problemas respiratórios e cardíacos, medos ou ilusões a respeito do amor.
TEMAS: Elo entre os três primeiro chacras (ligados a matéria, sexo e relacionamentos) e os três últimos (ligados à espiritualidade), o quarto centro deve integrá-los, elevando nosso grau de consciência e de auto-estima. Para isso, precisamos reconhecer e tratar dores decorrentes de ciúmes, ressentimentos e abandonos.
COMO ATIVAR: Terapias voltadas para as curas emocionais e meditações dirigidas.
PARA REFLETIR :Liberte-se da idéia de que você ou os outros deveriam ser diferentes para merecer amor. Aceite o que cada um é.



Vishudha, que significa purificar.
LOCALIZAÇÃO: Região da garganta.
COR: Azul-celeste.
ELEMENTO: Éter.
GLÂNDULA: Tireóide.
FUNÇÕES: Desenvolver a comunicação autêntica, a criatividade e a intuição, estimular a saúde na região do pescoço e ombros.
DISFUNÇÕES: Bloqueios na faculdade de percepção e expressão, distúrbios ligados à garganta e tireóide. TEMAS: Nosso sistema de crenças e valores está associado a esse centro. Se ele for rígido demais, a flexibilidade da parte superior do corpo será prejudicada, bem como a espontaneidade e a possibilidade de inventar novos significados para a existência. Se você é do tipo que engole sapos ou dissimula sentimentos, bloqueará a energia nessa região. O equilíbrio depende da recuperação da capacidade de expressar o que sente, desfazendo o nó na garganta. Assim, vai favorecer a capacidade de entrega, a generosidade, os poderes mágicos de evocação espiritual e também a responsabilidade por tudo o que sua voz é capaz de criar.
COMO ATIVAR: Cantar ou entoar mantras.
PARA REFLETIR: Palavras podem ferir ou curar, criando guerra ou paz nas relações pessoais e mundiais.

Ajna, que significa saber, perceber.
LOCALIZAÇÃO: Na testa, entre as sobrancelhas.
COR: Azul-anil.
ELEMENTO: Nenhum, plano da energia telepática.
GLÂNDULA: Pituitária.
FUNÇÃO: Desenvolver a sabedoria.
DISFUNÇÕES: Dores de cabeça, problemas de visão, incompreensão.
TEMAS: No dia-a-dia, esse chacra nos confere clareza, discernimento e concentração, mas é possível ir além: os dons da vidência e da telepatia correspondem a esse centro, conhecido como o "terceiro olho". Só os grandes sábios conseguiram chegar aos estágios mais elevados desse plano, compreendendo a profunda ligação entre todos os seres. Quando isso não ocorre, mesmo os visionários correm o risco da arrogância e do mau uso dos talentos.
COMO ATIVAR: Exercícios de visualização e imaginação ativa, como mentalização de cores e símbolos.
PARA REFLETIR: Procure conectar visão e intuição para enxergar além da superfície e compreender melhor o que vê.


Sahasrara, que significa mil vezes maior.
LOCALIZAÇÃO: Topo da cabeça.
COR: Violeta ou branco.
ELEMENTO: Nenhum, plano da energia cósmica.
GLÂNDULA: Pineal.
FUNÇÕES Integração, cura, consciência plena.
DISFUNÇÕES: Alienação, distúrbios mentais.
TEMAS: A circulação da energia nesse centro influencia a saúde em geral, pois ele rege o cérebro, as faculdades cognitivas e a memória. Do ponto de vista espiritual, é o estágio da iluminação e da santidade. Para nós, que buscamos a luz, distantes do nirvana, esse chacra aponta para a necessidade de aprendizado e de respeito ao mistério.
COMO ATIVAR: Meditação e posturas invertidas da ioga (só com orientação de especialistas).
PARA REFLETIR: O potencial para iluminação existe dentro de todos nós e qualquer ponto luminoso é importante no combate à ignorância.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Velhos Tempos

Tudo muda.... Houve um tempo em que se pedia “a benção” aos pais quando se acordava pela manhã ou se deitava para dormir, assim como antes de sair de casa. Hoje os filhos nem sabem o que significa pedir “a benção”, Afinal mal falam bom dia ou boa noite. E para sair de casa nem precisam falar aonde vão. Um filho, nesse tempo, referia-se aos pais ou pessoas mais velhas como “Sr” e “Sra”. Hoje os filhos se referem aos pais ou pessoas mais velhas como “Você”, Afinal nem sabem o significado de um pronome de tratamento respeitoso. Houve um tempo que não se falava enquanto adultos estivessem falando. Hoje os filhos falam enquanto os pais se obrigam a ficar quietos, Afinal nem sabem o que é ouvir. Os filhos, certamente, compreendiam o olhar recriminador de seus pais. Hoje se um pai lança um olhar recriminador ao filho, Passará despercebido ou ouvirá: “que cara feia é essa, velho?” Houve um tempo em que um filho pedia, por favor, ou “eu posso?” Hoje um filho não pede, por favor, e

Vivemos esperando

Novamente estamos nos aproximando de mais um final de ano. É impressionante como o tempo está passando rápido. Diria mesmo que está "voando". Essa constatação nos faz refletir sobre aquele velho dito popular: "Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje". Seja feliz, não espere que amanhã seja melhor. Torne hoje seu dia o melhor. Não perca tempo com situações estressantes. Não dê atenção àquilo que bloqueia sua felicidade. Não crie dificuldades para sua felicidade. Ser feliz é muito fácil, mais fácil ainda é impedir que aconteça. O tempo passa e você vai viver esperando o que? Dias melhores

Legado de miséria

D. Cacilda é uma senhorinha octogenária, muito frágil e humilde, mãe de nove filhos. Conseguiu, sob todas as dificuldades, torná-los homens e mulheres adultos. E com sua sabedoria ensinou-lhes as coisas certas da vida e o que é bom ou ruim. Seus filhos, todos casados, com suas ocupações e trabalhos, vivem correndo. D. Cacilda tem também muitos netos, talvez mais de 30, dentre os quais muitos já adultos e até casados. Mas, infelizmente, apesar dessa família tão numerosa de D.Cacilda, não escapa a senhorinha à solidão. D. Cacilda já se faz viúva há alguns anos e vive solitária em sua casinha, a relembrar de seus longos e passados anos ao lado de seu amado e companheiro marido. Sua modesta casa sempre foi o lar acolhedor para qualquer pessoa. E nunca houve quem ali não se sentisse confortado. Mas a vida tem seu ciclo. D.Cacilda, já tão frágil caiu doente, de cama, totalmente debilitada e dependente. Os anos pesaram em seus ombros já bastante arqueados. Mas que bom, ela tem tanto